Buscar
  • Henrique Correia

A partir das 18 horas deste sábado ficamos (quase) todos em casa até às 5 horas


Relembre quais são as exceções para essas restrições de circulação na Madeira




A Madeira já está com proibição de circulação na via pública entre as 23 e as 5 horas, na sequência das medidas de restrição que o Governo Regional adotou face ao aumento do número de casos de Covid-19, com os últimos números, dos últimos dois dias, a darem um resultado de dois mortos e 168 novos infetados. A partir deste fim de semana, mais medidas. O Governo de Miguel Albuquerque decidiu "apertar a malha" e proibir a circulação, agora nos próximos fins de semana, 9 e 10, 16 e 17 de janeiro, com proibição de circulação entre as 18 e as 5 horas. Com encerramento da restauração, bares e similares às 17 horas.

Estas medidas surgem num contexto em que se discute, no País, um novo confinamento alargado, provavelmente por 15 dias, atendendo à situação de rutura de alguns hospitais.

Para já, os madeirenses já têm circulação proibida a partir das 18 horas deste sábado, com os bares e restaurantes a fecharem às 17 horas. Nem o takeaway escapa, faz só até às 17. Para conferir as exceções a essa proibição, veja quem pode circular no período de proibição: a) deslocações profissionais, conforme atestado por declaração; b) profissionais de saúde e outros trabalhadores de instituições de saúde e de apoio social; c) agentes de proteção civil, militares, inspetores da Autoridade Regional das Atividades Económicas (ARAE) e forças de segurança; d) ministros de culto; e) pessoal das missões diplomáticas e consulares; f) deslocações por motivos de saúde; g) acolhimento de emergência de vítimas de violência doméstica ou tráfico de seres humanos; h) assistência a pessoas vulneráveis ou pessoas com deficiência; i) cumprimento de responsabilidades parentais; j) assistência médico-veterinária urgente; k) exercício da liberdade de imprensa; l) passeios de curta duração e de animais de companhia; m) retorno ao domicílio no âmbito das deslocações admitidas; n) deslocações ao aeroporto para embarque e desembarque de passageiros; o) deslocações em transportes públicos, táxis e TVDE, no âmbito das exceções admitidas no presente número; p) outros motivos de força maior, desde que se demonstre serem inadiáveis ou justificados.

11 visualizações