Buscar
  • Henrique Correia

"A vacina previne a doença em quem foi vacinado mas não mata o vírus"



O alerta é do médico Pedro Melvill Araújo. O conselho também: "Senhores Autoridades, façam o favor de dizer menos asneiras e fazer menos espalhafato com a chegada das ditas, e explicar convenientemente o que vem por aí!"



A declaração é do médico Pedro Melvill de Araújo, num artigo publicado na sua página do Facebook e que procura colocar algumas questões na euforia relacionada com a vacina no espetáculo mediático, tão grande no continente como aqui, mas cujos contornos deverão ser devidamente enquadrados, passada que está a fase inicial, coincidente com o aumento de casos, só hoje foram 99.

Pedro Malvill de Araújo lembra a "publicidade vigente": "De agora em diante tudo vai voltar a ser como era, tudo normal como dantes no quartel de Abrantes diz o povo em êxtase...

Está certo, chegaram algumas vacinas que terão o efeito de imunizar uns quantos, não muitos, mas os suficientes para que o extasiante povo ache que o "normal" está ali ao virar da esquina".

Mas logo põe em cima da mesa uns mas...que convém ter em conta nas avaliações. Enumera;):


- uma pessoa leva a 1º dose da vacina e ainda não está imunizada, há que continuar com cautelas e caldos de galinha


- uma pessoa leva a 2ª dose da vacina e continua por mais cerca de 15 dias sem ter a imunidade completa, há que continuar com cautelas e caldos de galinha


- uma pessoa está imunizada pela vacina e o que acontece é que não sofrerá a doença, mas pode carregar o vírus consigo e transmiti-lo a quem está à volta, logo - há que continuar com cautelas e caldos de galinha

- muitas pessoas estão imunizadas pela vacina, mas continuam a ser potenciais transmissores, há que continuar com cautelas e caldos de galinha.


O médico explica que "o que é necessário dizer e explicar é que a vacina previne a doença em quem foi vacinado mas não mata o vírus e, portanto, essa pessoa pode transmiti-lo, mesmo que não tenha qualquer sintomatologia, pois está "protegido" imunologicamente.

Isto é, quem foi vacinado tem de continuar a ser testado e com os mesmos cuidados de higiene, uso de máscara e distanciamento físico como qualquer cidadão que não tenha sido ainda vacinado., porque senão é vector de transmissão e é factor de risco para com todos os outros. E isto vai durar pelo menos mais dez (10) meses".

E deixa um conselho, nada brando: "Senhores Autoridades, façam o favor de dizer menos asneiras e fazer menos espalhafato com a chegada das ditas, e explicar convenientemente o que vem por aí!"

7,612 visualizações

Posts recentes

Ver tudo