top of page
Buscar
  • Foto do escritorHenrique Correia

Acessos e parques públicos para servir Teleférico privado



JPP revela: Empresa defende que as acessibilidades, e em especial os parques de estacionamento sejam custeados pela autarquia de câmara de Lobos e pelo Governo.




Opartigdo Juntos Pelo Povo não desiste de fiscalizar a obra de construção do teleférico do Curral das Freiras, desde logo o facto de a empresa pagar 2 mil euros de renda, 24 mil euros ao ano, mas acfaturar 5,1 milhões ao ano. "Um projeto com contornos pouco claros, um negócio ruinoso para as finanças da Região, e que a investigação irá apurar", refere o deputado Élvio Sousa.

"O retorno do investimento será atingido em 18 anos, mas a concessão será feita a 60 anos, adensando a natureza ruinosa do projeto e a penalizar as finanças públicas".

Segundo o JPP "os estudos foram escondidos deliberadamente e não eram públicos. Da mesma forma que os previstos 5,1 milhões de receita ao ano, não constam dos proveitos da restauração e do parque aventura. Mais recentemente, e noutro documento ocultado deliberadamente pelo Governo, ou seja a proposta apresentada pela Inspire Capital Atlantic, a empresa revela que as acessibilidades, e em especial os parques de estacionamento sejam custeados pela autarquia de câmara de Lobos e pelo Governo.

Esta situação vem contradizer a versão governamental de que o investimento seria única e exclusivamente privado, sem recurso a investimento público. Faltando quantificar o valor das expropriações dos terrenos".


39 visualizações

Comentários


bottom of page