Buscar
  • Henrique Correia

"Ainda não houve euros ou “bitcoins” para reconstruir o muro e salvar a árvore"


A observação é feita pelo investigador madeirense Raimundo Quintal, que já foi vereador de Miguel Albuquerque, atual presidente do Governo, no Funchal.



Com ironia à mistura, mas também com muita seriedade pelo assunto, o investigador e professor Raimundo Quintal, que já foi vereador do Ambiente em gestão autárquica primeiro de Virgílio Pereira e depois de Miguel Albuquerque, no Funchal, trouxe a público uma observação que tem pertinência relativamente a um acidente ocorrido há um mês, acima do Miradouro do Pináculo envolvendo um veículo ligeiro e um autocarro que só não se precipitou pela encosta porque foi travado por una árvore "milagrosa".

Raimundo Quintal escreve, na sua página do Facebook, que "no dia 11 de Março, uma pequena árvore impediu a queda de um autocarro na escarpa acima do miradouro do Pináculo, salvando da morte quase certa, o motorista e cerca de trinta passageiros, a maioria jovens estudantes.

Exactamente um mês após a arriscada missão, a árvore, que deveria ter sido condecorada, continua ao abandono".

O investigador acrescenta, e aqui entra alguma ironia relacionada com a viagem de Miguel Albuquerque a Miami, onde anunciou que a Madeira vai adotar a bitcoin como meio legal de transacções: "Ainda não houve disponibilidade de euros ou “bitcoins” para reconstruir o muro com maior robustez, nem para tratar a Casuarina, que ficou em mau estado devido ao embate do pesado autocarro.

Aquela árvore tem de ser cuidada urgentemente, o que implica a limpeza dos ramos quebrados, a recolocação do tronco na posição vertical através da amarração de um cabo, a remoção do entulho resultante do derrube do muro e a deposição duma camada de solo para revigorar as raízes.

A Casuarina que salvou a vida de mais de três dezenas de humanos não pode ser abatida. É possível salvá-la. É necessário agir e já!"


13 visualizações