Buscar
  • Henrique Correia

Albuquerque com Marcelo a ouvir lembra a ligação marítima de passageiros


Presidente do Governo, na cerimónia do Dia dos Oceanos, diz que "o triângulo atlântico – Continente / Madeira / Açores – necessita de ligações marítimas de passageiros regulares.


Dia sem selfies não é dia para Marcelo.

A passagem em Câmara de Lobos.

Marcelo apanhado com o "pau da poncha" na mão.


Foi perante o Presidente da República que Miguel Albuquerque defendeu hoje, na cerimónia do Dia dos Oceanos, que o triângulo atlântico – Continente / Madeira / Açores – "necessita de ligações marítimas de passageiros regulares, pois esta é uma das formas inteligentes de exercer os nossos direitos de soberania no mar. Espanha tem ligações regulares marítimas com Canárias. Portugal, como potência média atlântica, tem de o fazer com os seus Arquipélagos".

O Chefe do Governo referiu que "se Portugal quiser assumir um papel central na interface América-Europa; Canal do Panamá – Europa, Oriente e África-Europa, tem de investir na modernização, requalificação e logística nos seus portos no Continente e nas Regiões Autónomas. 90% do comércio externo da Europa e 40% do comércio intereuropeu passa pelos portos Europeus. Anualmente transitam nos portos marítimos da Europa 3,5 mil milhões de toneladas e, 300 milhões de passageiros.

Ignorar a modernização e logística portuária e os seus sectores associados como a construção e reparação naval, onde temos grande tradição e o turismo de cruzeiros e científico é, no mínimo, absurdo".

Albuquerque abordou o Registo Internacional de Navios do Centro Internacional de Negócios da Madeira lembrando que "já é o terceiro a nível europeu com mais de 680 grandes navios registados com a Bandeira Portuguesa; acolhendo ainda empresas de manning e shipping, que geram empregos muito bem remunerados aos seus jovens profissionais. A perspectiva é de crescermos 14% ainda este ano. Portugal tem condições para se tornar um dos países mais importantes do Mundo neste sector altamente especializado".

Dois focos estão também ligados ao mar, segundo o presidente do Governo, designadamente as condições para crescer na aquacultura, "uma das áreas da agroindústria que registou o maior crescimento a nível mundial com uma média de crescimento de 6% ao ano nas últimas três décadas" e a Robótica Sub aquática e das Tecnologias Digitais no mar, para a monitorização e estudo do potencial dos solos e subsolos marinhos da nossa plataforma continental, salvaguardando e preservando as áreas protegidas e a vida marinha".

Durante a visita, a delegação ouviu ainda os responsáveis técnicos do Centro de Ciências do Mar discorrerem sobre novas técnicas científicas para investigação marinha e assistiu ainda a testes práticos de uso dos drones para a fiscalização e mapeamento dos nossos mares, refere uma publicação nas plataformas digitais do Governo.

No percurso entre o cais de Câmara de Lobos e o Museu de Imprensa, onde decorrerá a cerimónia do Dia Internacional dos Oceanos, Marcelo Rebelo de Sousa e Miguel Albuquerque foram interpelados e saudados por diversos populares e fizeram questão de brindar com a poncha da Região. No percurso foram acompanhados pelo Representante da República, Ireneu Barreto, pelo ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, e pelo presidente da Câmara Municipal de Câmara de Lobos, Pedro Coelho.



11 visualizações