top of page
Buscar
  • Foto do escritorHenrique Correia

Albuquerque foi a um "bastião" do PSD dizer que "ninguém muda para pior"



Rui Barreto elogiou parceiro Albuquerque:

“Miguel Albuquerque nunca virou a cara a nenhuma luta”.




“Ninguém muda para pior”, foi assim que Miguel Albuquerque falou ao povo da Calheta, um bastião social democrata, no comício da coligação Somos Madeira, esta noite de sexta-feira naquele concelho.

Albuquerque lembrou provas dadas pelo seu Governo e apelando a que o futuro não fique nas mãos de Partidos sem responsabilidade e competência

“A Calheta está a crescer em turismo, em alojamento local, nos investimentos imobiliários, nos residentes estrangeiros de alto rendimento e é nesse sentido que teremos de encontrar uma solução para a duplicação da plataforma rodoviária”, garantiu, de modo a que o trânsito resultante da extraordinária e crescente procura pela Calheta possa vir a ser descongestionado nalgumas zonas.

“Mais uma vez, demonstramos que a maneira de fazer as coisas é trabalhar e concretizar, não é paleio, que paleio não dá de comer a ninguém”, disse, aludindo aos resultados extraordinariamente positivos que a Região atualmente apresenta – quer do ponto de vista do maior crescimento económico de sempre e em todos os setores, quer ao nível do mais baixo desemprego dos últimos 16 anos ou da maior redução de impostos de sempre – e sendo taxativo ao afirmar que “não há alternativa”. Ou seja, “se as pessoas querem manter este rumo, têm de votar na coligação SOMOS MADEIRA”.


Rii Barreto Líderdo CDS


Numa intervenção que ficou marcada pelos vários exemplos de responsabilidade e compromisso a favor da população que caracterizaram a coligação PSD/CDS nos últimos quatro anos, o Líder do CDS, Rui Barreto, afirmou, esta noite, na Calheta, que a 24 de setembro só existe uma escolha e que a pessoa mais bem preparada para lidar com o futuro e para enfrentar um mundo em guerra, em instabilidade e em crescente convulsão, é, sem dúvida, Miguel Albuquerque.

Alguém “que nunca virou a cara a nenhuma luta”, que lidou com situações de catástrofe, de incêndios, de aluviões, de pandemia e de guerra na Europa sempre presente ao lado da população e que soube, exatamente graças à sua visão, encontrar as melhores respostas para cada um dos desafios.



9 visualizações
bottom of page