Buscar
  • Henrique Correia

Albuquerque garante que "não há transmissão comunitária" na Madeira

Nos laboratórios do continente já foram feitos 40 mil testes, entre os quais foram detetados 136 positivos, pelo que essas pessoas já não viajaram para a Madeira. Região vai gastar 20 milhões, até dezembro, nas unidades de rastreio nos aeroportos da Madeira e do Porto Santo


O presidente do Governo Regional garantiu que a Madeira não tem transmissão comunitária mas unicamente casos de transmissão local, reafirmando que o período crítico irá ocorrer aquando do regresso à Madeira dos estudantes universitários para as férias de Natal. "Volto a fazer um apelo, aos estudantes, no sentido de fazerem o primeiro teste nos centros de colheita no continente, assim encurtam o tempo em que aguardam o segundo teste, entre os 5º e o 7º dias, além de facilitarem o trabalho das autoridades locais e garantirem mais segurança às suas famílias".

Relativamente aos testes em laboratórios no continente, Albuquerque avançou com alguns números, revelando que foram feitos 40 mil testes, entre os quais foram detetados 136 positivos, pelo que essas pessoas já não viajaram para a Madeira.

Miguel Albuquerque visitou hoje a unidade de ratreio do Aeroporto da Madeira CR7, onde desde 1 de julho trabalham 200 profissionais de saúde e do Turismo, sendo que o Aeroporto já recebeu 220 mil passageiros desembarcados, metade dos quais já trazia teste. O custo envolvido nesta operação, na Madeira e no Porto Santo, aponta para os 20 milhões de euros até final do ano.

O chefe do Executivo adiantou, ainda, em matéria de movimento aéreo na Madeira, que espera um aumento na época do Natal, admitindo que a vinda de passageiros, sobretudo do Reino Unido e da Alemanha, vai diminuir em novembro.

12 visualizações