Buscar
  • Henrique Correia

Albuquerque põe Rio e os pró "Rios" em "sentido": não há cheques em branco


Mesmo um Governo PSD na República deve dizer clarinho o que vai cumprir com a Madeira. Seja Costa ou seja Rio, leva por igual exigência.




Não sei se os declarados apoiantes de Rui Rio esperavam ou não, mas para desfazer eventuais dúvidas Miguel Albuquerque esclareceu no encerramento das I Jornadas Municipais Parlamentares organizadas pela coligação “Funchal Sempre à Frente”: “Seja qual for o Governo que venha a ser eleito, a Madeira não vai passar nenhum cheque em branco a nenhum Primeiro-ministro e aquilo que é fundamental, neste momento, é saber quais são os compromissos que o Governo nacional irá assumir para com a nossa população e saber se o Estado assume as suas responsabilidades – no sentido de garantir os meios necessários ao desenvolvimento da Região no presente e no futuro – ou se entende que não deve assumir as suas responsabilidades e liberta-nos desses constrangimentos, facultando à Região um quadro legal que lhe permita optar pelos seus próprios instrumentos de desenvolvimento”.

Assim, simples. Seja qual for o governo, por isso até um Governo do PSD, não pensem que por isso a Madeira assina de olhos fechados.

Dirigindo-se a atual vereação, Albuquerque vincou que a tarefa não é fácil – “esta vereação tem de recompor aquilo que foi estragado, organizar o que foi desorganizado e atuar em função das expetativas legitimas dos Munícipes” – mas mostrou-se agradado com os sinais positivos que já se fazem sentir, em tão pouco tempo, garantindo, mais uma vez, que todos os compromissos assumidos com a população do Funchal serão integralmente cumpridos", refere uma nota publicada nas plataformas digitais do PSD.

7 visualizações