Buscar
  • Henrique Correia

Albuquerque quer requisição civil aplicada para garantir a retoma turística



O presidente do Governo mostrou-se hoje satisfeito com a requisição civil decidida pelo Governo da República para a greve do SEF.




O Governo Regional e o seu presidente Miguel Albuquerque manifestaram hoje a sua "satisfação e concordância pela decisão do Governo da República, anunciada hoje, de avançar para a requisição civil dos inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) nos aeroportos, na sequência da greve marcada para junho por um dos sindicatos daquele organismo".

Como demos conta numa peça anterior, o ministro Eduardo Cabrota, falando no parlamento, lembrou que a requisição civil já tinha sido solicitada pelo Governo Regional da Madeira e pela generalidade de autarcas de áreas turísticas.

O Governo recorda, numa nota distribuída há pouco, que na cerimónia que assinalou o Dia do Empresário, Miguel Albuquerque, no seu discurso fez questão de sublinhar a sua preocupação com a greve do SEF e anunciou que tinha escrito ao ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, para pedir que obstaculizasse legalmente a iniciativa sindical.

Na ocasião, o presidente do Governo Regional disse ainda que o turismo madeirense vive uma situação muito complicada, devido à pandemia, mas que os próximos tempos são de esperança e confiança.

Uma esperança que deriva da reabertura de mercados como o do Reino Unido.

Desta forma, a greve, a acontecer, iria prejudicar, e muito, o destino Madeira.

Miguel Albuquerque vê assim, com agrado, a sua reivindicação ser atendida, esperando agora que essa requisição se aplique de maneira a garantir a retoma turística.

5 visualizações