Buscar
  • Henrique Correia

Almoço privado com Marcelo para falar de tudo e pedir influência em Lisboa


Temas "fortes" à mesa, na Quinta Vigia, serão a revisão da Lei de Finanças Regionais, a revisão constitucional, as ligações marítimas entre continente e Madeira, o Representante da República...



Esta sexta-feira, 5 de março, o Presidente da República está na Madeira, como se sabe, para uma visita de final de mandato e em vésperas da tomada de posse para mais cinco anos em Belém. Vem à Região, antes de ir aos Açores, e almoça com o presidente do Governo Regional, na Quinta Vigia.

O próprio Miguel Albuquerque revelou hoje que o encontro é num almoço privado, onde estarão vários assuntos em cima da mesa. No fundo, temas fortes mas para falar de tudo. Um momento que, por certo, será normalização de relacionamento depois de um clima de tensão entre Albuquerque e Marcelo, antes das eleições.

O lider do Governo Madeirense disse hoje, à margem de uma visita à empresa DTWay, integrada na incubadora StartUp Madeira, ao Madeira Tecnopolo, que o encontro com o Chefe de Estado servirá para abordar várias questões, designadamente a revisão da Lei de Finanças Regionais, em processo de andamento negocial, a revisão constitucional, as acessibilidades maritimas e naturalmente a questão Representantes da República.

Albuquerque realça a postura de Marcelo, ao vir às Regiões para ouvir os órgãos regionais, deixando claro que não está em causa a pessoa de Ireneu Barreto, atual detentor do cargo e cuja continuidade ou não é uma decisão do Presidente da a República.

Relativamente às acessibilidades, o líder do Governo Regional explica que Portugal passará a ser a décima plataforma continental do mundo, exigindo que o País assegure corredores marítimos para as Regiões. "Não é uma questão de lucro, mas sim do exercício da soberania".

Relativamente à visita à empresa DTWay, o presidente do Governo lembrou que entrámos num novo período da economia mundial, pela via digital, sendo que na Madeira já temos 27 médias empresas no mercado, cuja facturação é de 70 milhões de euros.














11 visualizações