Buscar
  • Henrique Correia

Ano letivo começa mas a pandemia não se extinguiu, alerta Jorge Carvalho



Secretário regional da Educação diz que 2021/22 será ainda mais um ano de recuperação integral do tempo de serviço efetivamente cumprido pelos professores.



Esta segunda-feira, 6 de setembro, começa oficialmente o ano letivo 2021/22 na Região. Com 40000 alunos, 6500 professores, 5000 técnicos e funcionários, em 154 escolas.

Um momento que o secretário regional da Educação aproveitou para lembrar que este ano escolar "vai encontrar-nos mais bem preparados para enfrentar todos os desafios, sempre movidos pela certeza de que a melhoria contínua do nosso sistema educativo e a elevação permanente dos níveis de formação são condições essenciais para o desenvolvimento da nossa Região".

Desde logo, acrescenta, "estamos mais fortalecidos para enfrentar a pandemia da COVID-19, por termos atingido uma condição mais efetiva de controlo e prevenção da doença, a qual se ficou a dever a proatividade das autoridades regionais de Saúde que sempre perspetivaram a intervenção junto das populações estudantis de forma adequada e consequente".

Mas Jorge Carvalho alerta: "A pandemia não se extinguiu, os cuidados exigidos para continuar o seu combate continuam válidos, as escolas mantém, nos respetivos planos de contingência, orientações específicas que nos dão confiança numa evolução positiva no plano sanitário, mas até decisão contrária das autoridades com competência na matéria, é indispensável que cumpramos as normas em vigor".

O governante veio a público para fazer o enquadramento deste novo ciclo, ainda em contexto pandémico. Dirigiu palavras de incentivo aos estudantes, de garantia às famílias sobre a oferta formativa, mas também aos professores "o agradecimento pelo extraordinário desempenho, em particular nas difíceis condições dos dois últimos anos, e expressamos a nossa confiança na manutenção do padrão de elevada competência que, estamos certos, será mantido". Os restantes recursos humanos não ficaram de fora desta abordagem de Jorge Carvalho.

Numa longa exposição, o secretário fala de vários outros assuntos da comunidade educativa. Primeiro, a transição digital: "A transição digital educativa prossegue o rumo traçado, abrangendo, através da cedência de equipamentos apropriados que ultrapassam as meras funções recreativas, cobrindo todos os alunos das escolas públicas entre o 5.º e o 7.º ano, além daqueles que frequentam o 8.º ano das escolas dos concelhos da Calheta, da Ribeira Brava e de São Vicente"; segundo, a carreira dos professores: "2021/22 será ainda mais um ano de recuperação integral do tempo de serviço efetivamente cumprido pelos professores ao serviço da Região, demonstrando quão acertada está a revelar-se a estratégia de um processo faseado, adequado às disponibilidades efetivas da Região e não ao sabor de reivindicações irresponsáveis de satisfação total e imediata".

6 visualizações