Buscar
  • Henrique Correia

António Costa alerta famílias grandes para necessidade de se adaptarem no Natal

"Não conseguimos estar todos na mesma casa, por isso vamos dividir-nos"


"As famílias grandes terão de se adaptar", disso o primeiro-ministro, em entrevista à Antena 1. O estado de emergência, que vai esta sexta-feira ao Parlamento e que ainda hoje será decretado pelo Presidente da República, por um período de 15 dias, entre 9 e 23 de novembro, pode durar até final da pandemia, diz Costa.

O estado de emergência, em si, não comporta medidas, que deverão ser anunciadas depois de um conselho de ministros extraordinário, mas como sublinhou o primeiro-ministro permite mecanismos legais para as medidas que são necessárias em cada momento.

Relativamente às famílias, António Costa esclarece que "não conseguimos estar todos na mesma casa, por isso vamos dividir-nos. Faremos tudo o que for necessário para controlar a pandemia, mas nada mais do que o necessário. O nosso Natal depende muito do que façamos hoje".

Segundo refere o Jornal de Notícias, Costa afirma que toda a Europa" se atrasou" no combate a esta segunda vaga, já que esta segunda onda de casos chegou mais cedo do que o previsto. "Portugal não é uma ilha, o vírus circula mais".

5 visualizações