top of page
Buscar
  • Foto do escritorHenrique Correia

Antigo FAOJ passa a 72 novas residências para jovens no centro da cidade




Destina-se a jovens solteiros ou casados, estudantes deslocados, estudantes estrangeiros, professores e investigadores.


Miguel Albuquerque apresenta o projeto “Living Studios 31 Janeiro”, a cargo da empresa pública regional PATRIRAM.


O Governo Regional vai construir 72 novas residências para jovens que queiram viver no centro do Funchal. Projeto do Governo Regional destina-se a jovens solteiros ou casados, estudantes deslocados, estudantes estrangeiros, professores e investigadores. Amanhã, pelas 10.30 horas, o presidente do Governo Regional visitará o local (antigas instalações da FAOJ, junto à atual sede da PATRIRAM, na Rua 31 de Janeiro) onde será apresentado o empreendimento, refere uma nota da Quinta Vigia.

O projeto “Living Studios 31 Janeiro”, a cargo da empresa pública regional PATRIRAM, vem acrescentar à Região mais 88 camas, distribuídas por unidades de alojamento com tipologias diversificadas, como quartos simples ou duplos e estúdios com kitchenettes.

O objetivo é atrair e promover a fixação dos jovens madeirenses no centro da cidade, ao mesmo tempo que se diligencia a reabilitação de edifícios que se encontravam degradados, realidade que, por si só, dinamizará o comércio e os serviços próximos, criando um enquadramento onde se torne agradável e seguro viver.

"Embora o conceito do projeto e a tipologia das residências estejam direcionados para a fixação dos jovens, solteiros ou casados, poderão ter também apetência para alunos deslocados, isto é, para alunos que vivam noutros concelhos e na ilha do Porto Santo, mas que estudem no Funchal; para alunos estrangeiros que venham estudar para a Universidade da Madeira; para professores e investigadores; para nómadas digitais que queiram viver no Funchal".

O investimento de cerca de 7 milhões de euros, que será realizado com recursos próprios da PATRIRAM, visa promover uma maior dinâmica imobiliária e manter a filosofia de recuperação urbanística na baixa do Funchal, criando novas oportunidades para os jovens residirem numa zona nobre da cidade e pensando o ecossistema académico de investigação ligado às novas tecnologias, esbatendo a tendência recente de alguma desertificação do centro do Funchal.

A conclusão do empreendimento deverá acontecer até final de 2026.

De acordo com o estudo prévio, estão previstas 88 novas camas, distribuídas por 48 quartos simples, 12 quartos duplos, 8 estúdios individuais e 4 estúdios duplos.

No rés do chão está previsto um espaço para a instalação de serviços e 14 lugares de estacionamento em cave.

No primeiro piso serão construídas salas de estudo, cozinhas comuns, uma lavandaria, refeitório, ginásio e um lounge de convívio.

Nos pisos 2, 3,4 e 5 ficarão todas as unidades de alojamento.

Na cobertura, o projeto prevê a construção de uma pista de manutenção, uma quadra desportiva, uma cozinha exterior e um espaço de refeições outdoor.


18 visualizações

Comments


bottom of page