Buscar
  • Henrique Correia

Assembleia vai recordar o Conjunto João Paulo, Max, Zenith e muitos outros



Dia do Parlamento com concerto de homenagem ao bom que se fez na música da Madeira. Confira "Eu tão só", um dos sucessos do Conjunto João Paulo:

https://youtu.be/It0D3CtbqVc







Dizem que foi o tempo da boa música, o tempo também em que a Madeira marcou vários registos de expressão nacional. Tudo e todos serão recordados no Dia da Assembleia Regional, a 19 de julho, num concerto que vai decorrer no Parlamento. Ao contrário do programa da TVI, este é, sim, um "tiro certeiro", uma boa iniciativa de José Manuel Rodrigues.

O Conjunto Académico João Paulo, Sérgio Borges, Tony Amaral, Max, Luís Filipe Aguiar, Gabriel Cardoso, João Luís Mendonça e o Conjunto Zenith são algumas das bandas e alguns dos músicos que vão ser recordados a 19 de julho, no concerto comemorativo dos 46 anos da Assembleia Legislativa da Madeira.

O espetáculo denominado “Grandes Músicos Madeirenses”, com cerca de uma hora, é uma homenagem às grandes figuras da música regional, onde estão também compositores que se destacaram no panorama nacional e internacional, refere uma nota do Parlamento.

A mesma informação acrescenta que "o tributo é um gesto de reconhecimento do Parlamento madeirense aos músicos que, a solo ou em banda, ajudaram, com a sua obra, a projetar o nome da Madeira".

Os temas vão ser interpretados pelas vozes de Vânia Fernandes, Sofia Relva, Joaquim Machado, Emma Dias e Laura Silva. A acompanhá-los está a banda formada por Xico Martins (piano e arranjos), Saúl Ferreira (teclados), Aloísio Atouguia (bateria), Rodolfo Cró (guitarra) e Igor Capelo (baixo).

Desfiando a história da música, o concerto recorda Max, cantor e fadista madeirense que se notabilizou na rádio, no teatro e na televisão portuguesa, entre os anos 40 e 80 do século passado.

Também na década 1940, o panorama do Jazz na Madeira ganhou relevo com Tony Amaral e o conjunto “Tony Amaral And His Boys”, sendo esta uma referência na noite madeirense e lisboeta que vai ser trazida para a atualidade.

Destaque também para Gabriel Cardoso, um dos fundadores do primeiro “conjunto de estudantes” da Madeira, na década de 1950, cuja música perdurou na rádio e na televisão até ao final do século passado.

O Conjunto Académico João Paulo foi uma banda que começou no liceu Jaime Moniz, na década de 60, onde se evidenciaram o líder João Paulo, nas teclas, e Sérgio Borges, na voz. A banda venceu o Prémio Imprensa Especial de 1964, fez grande sucesso no Teatro Monumental, em Lisboa, e no programa “TV Clube”. Em 1966, Sérgio Borges marcou a História ao ficar em segundo lugar no Festival da RTP da Canção com a música “Nunca Direi Adeus”, um dos temas recuperados neste espetáculo inserido no Dia do Parlamento madeirense.

Em 1979, Rui Lima e Paulo Ferraz fundaram o conjunto Zenith, que será lembrado nesta viagem ao passado.

De Luís Filipe Aguiar será recuperado o sucesso “Brinquedo Desfeito”, que conta com a assinatura de Rosa Lobato Faria.

Mais recente é o trabalho de João Luís Mendonça recordado neste tributo aos “Grandes Músicos Madeirenses”.

O concerto vai realizar-se no largo da Capela de Santo António da Mouraria, no dia 19 de julho de 2022, é de entrada livre, e será transmitido em direto pela RTP Madeira a partir das 21h45.

18 visualizações