Buscar
  • Henrique Correia

Barreto ao “ataque” com Jardim a ouvir: nem República nem fundos europeus ajudaram a Madeira

Linha Invest RAM vai permitir às empresas a candidatura a um segundo apoio




O secretário regional da Economia foi à nova loja Nico's Burguer, no centro comercial Marina Shopping, deixar uma mensagem de esperança mas com muito realismo à mistura. Deu ênfase aos tempos difíceis e deixou críticas ao Governo da República pela falta de apoio à Madeira. Tudo com um convidado especial a ouvir, Alberto João Jardim, antigo presidente do Governo Regional e do PSD-Madeira, que talvez nunca tivesse equacionado a possibilidade de, um dia, ouvir declarações de um governante do CDS tal a hegemonia social democrata de 40 anos.Rui Barreto anunciou continuidade e reforço nos apoios do Governo ao financiamento, ao investimento e ao transporte e garantiu que o Executivo estará, sempre, “ao lado das empresas e dos seus trabalhadores para encontrar as melhores soluções, apoiando na na readaptação das suas lojas, no investimento, mas também do ponto de vista social e do ponto de vista da saúde”. Um apoio que, até agora, não contou com a “solidariedade” do Governo da República, nem com a ajuda dos “tão necessitados” fundos europeus”.dando um aval”, que permitiria poupar 60 milhões de euros”, referiu Rui BarretoDesde o início da pandemia, só na área económica, já foram implementadas medidas que ascen“É pena, é desagradável, para não dizer outra coisa, que o governo português não tenha facilitado, nem ajudado a Região, com um empréstimo que será pago por todos nós, dem a uma despesa de 150 milhões de euros, medidas essas que serão reforçadas e reajustadas, como é o caso da Linha Investe RAM, no valor de 100 milhões de euros, em que será permitido às empresas que se candidataram numa primeira fase, que o façam pela segunda vez, e possam “dobrar” valor do financiamento. Na esfera dos apoios, recentemente, foi também aprovado um apoio ao transporte de mercadorias até ao limite de 300 mil euros/ano. O governante revelou ainda que, no mês de outubro, será aberto um novo sistema de incentivos ao investimento para apoiar microempresas.“Os próximos tempos serão tempos de resistência”, alertou. “Não podemos pensar que vamos ganhar como ganhávamos e janeiro ou em fevereiro. Hoje é um tempo de solidariedade, nós todos vamos ter de prescindir de qualquer coisa para ganharmos mais à frente, coletivamente”.

9 visualizações