Buscar
  • Henrique Correia

Barreto critica "excessiva burocracia e rendilhado jurídico" nos apoios


"A União Europeia e o Estado Português têm de repensar a forma como são aplicados regulamentos em situações excecionais, naquilo que diz respeito aos apoios às empresas"




O secretário regional da Economia, Rui Barreto anunciou hoje a abertura do terceiro aviso da Linha de Crédito Investe RAM.m, referindo que “numa primeira fase foram atribuídos 56 milhões de euros, numa segunda fase 34 milhões e restam 6 milhões. o regional da Economia, Rui Barreto anunciou hoje a abertura do terceiro aviso da Linha de Crédito Investe RAM.m, referindo que “numa primeira fase foram atribuídos 56 milhões de euros, numa segunda fase 34 milhões e restam 6 milhões.

Esta revelação foi feita no âmbito da cerimónia de validação dos contratos do ‘SI Funcionamento’, no Salão Nobre da Vice-Presidência do Governo Regional.

O governante considerou hoje que a União Europeia e o Estado Português têm de repensar a forma como são aplicados regulamentos em situações excecionais, naquilo que diz respeito aos apoios às empresas.

“Não pode haver a excessiva burocracia e o rendilhado jurídico, em tempos em que as empresas e os contribuintes precisam do dinheiro cada vez mais rápido”, disse o governante.

Falando aos empresários, o secretário da Economia afirmou que apesar da “rapidez e total empenho” com que o IDE tem analisado as candidaturas aos diversos apoios “vimos os processos travarem em instituições que têm de verificar a legalidade, mas que, por uma ou outra razão, demoram demasiado tempo a dar parecer ou a dar visto para que possamos disponibilizar esses meios”.

No âmbito do Funcionamento já foram já aprovadas 1285 candidaturas, cerca de 60% do total de candidaturas entradas (1862) para uma verba de 22 milhões de despesa pública. Os apoios a fundo perdido destinam-se a cobrir despesas de tesouraria, tais como eletricidade, água, rendas e salários.


5 visualizações