Buscar
  • Henrique Correia

Barreto diz que devemos ter orgulho na "intuição e sabedoria" de Albuquerque

Muitos pensavam nunca ouvir estas palavras de Rui Barreto sobre Miguel Albuquerque. Mas a coligação governativa regional, coesa como dizem estar, transforma impossíveis e surpreende.


Se dúvidas houvesse relativamente à coesão deste Governo Regional de coligação PSD/CDS, dissipou-as totalmente depois de ouvir a intervenção de Rui Barreto, o líder centrista, nas Jornadas Parlamentares que os dois partidos levam a efeito, até esta sexta-feira 18 de setembro no Caniço. Possívelmente, quem tirou dúvidas também nunca pensou ouvir o que ouviu da boca de Rui Barreto, que enumerou os três princípios que têm presidido à Coligação: coesão, compromisso e responsabilidade, e deixou um elogio ao parceiro de Governo e líder do PSD, Miguel Albuquerque, “devemos sentir orgulho em ter na presidência do Governo alguém com intuição e com sabedoria, que já passou por momentos destes e que soube geri-los com enorme sabedoria e tenacidade”, afirmou.

E lembra que “as enormes consequências” provocadas pela Covid-19, perante um “sentimento de impotência”, Rui Barreto recordou que esta pandemia não se irá resolver por decreto e apontou como valor cimeiro a segurança e a proteção sanitária dos cidadãos.No que diz respeito à Economia, a situação que vivemos deve ser encarada com realismo, “considero que não devemos disfarçar a realidade, devemos falar a verdade às pessoas, sem promover cenários que não são reais”, sublinhou.Com realismo, o cenário não é bom, mas o líder centrista olha para o futuro e vê “esperança e a capacidade de debelar esta situação”.Nesta intervenção, onde falou dos programas de apoio a empresas, Barreto lançou críticas à República: “Podíamos ter feito mais se o Estado português tivesse sido solidário connosco. Tudo o que fizemos, até agora, foi a expensas dos contribuintes madeirenses. Até obter uma autorização para um empréstimo pago por nós tem sido um cabo das tormentas. Nós temos de denunciar isto para que as pessoas percebam que o Estado tem falhado com a Madeira”.

16 visualizações