top of page
Buscar
  • Foto do escritorHenrique Correia

Barreto entre os três secretários sob suspeita; várias câmaras ao "barulho"




Detidos só serão ouvidos esta terça-feira. O projeto Dubai Madeira, de 300 milhões, está nas investigações com suspeitas de envolvimento de Pedro Calado, Avelino Farinha e Custódio Correia.


Projeto Dubai Madeira sob suspeita.


O jornal Público revela hoje mais dados relacionados com a megaoperação levada a efeito na Madeira envolvendo suspeitas de corrupção, com eventuais favorecimentos e vantagem em negócio e que já resultou em três detenções e constituição de arguifo por parte do presidente do Governo que por isso está demissionário.

Aquele jornal de referência no País adianta que além da anterior secretária regional Susana Prada, estão sob investigação três secretários regionais ainda em funções, designadamente Rogério Gouveia, das Finanças, Pedro Fino, com a tutela das obras, e Rui Barreto, secretário regional da Economia, que ontem, na qualidade de líder do CDS e parceiro do Governo de coligação, exigiu ao Representante da República que assine, de imediato, a saída de Miguel Albuquerque e a formação de um novo Governo Regional. Barreto estará envolvido, com Albuquerque, no negócio da concessão dos transportes públicos alegadamente lesivo dos interesses regionais.

Explica o jornal que o responsável pela SAM, Tavares da Silva, um dos oito suspeitos que constam de um dos processos, terá continuado a comprar autocarros mesmo de uma decisão do tribunal de anular concurso por queixa de concorrente, sendo que as entidades judiciais suspeitam que teria garantias que a concessão ser-lhe-ia atribuída, o que aconteceu mas já com um outro ajuste no agrupamento concorrente. Além disso, diz o jornal, José Afonso de Almada Cardoso Tavares da Silva é amigo próximo de Miguel Albuquerque e suspeita-se que poderá ter havido algum favorecimento.

Pedro Fino é o secretário que tutela as obras e sobre ele recai a suspeita de adjudicação de obras ao grupo AFAVIAS do empresário Avelino Farinha, um dos detidos. O jornal diz que desde outubro de 2019 e setembro de 2023 foram adjudicados trabalhos de 213 milhões de euros ao grupo AFA.

Sobre o secretário das Finanças Rogério Gouveia recai suspeitas, entre outras, numa adjudicação de manutenção de impressoras, de 3,8 milhões, já considerado ilegal pelo Tribunal de Contas. A empresa dava assistência aos produtos Canon, que patrocinada a equipa de Pedro Calado nos ralis. O concurso foi iniciado com Calado na vice presidência e concluído com Rogério Gouveia.

O mesmo jornal adianta que há seis câmaras sob investigação nos processos, nomeadamente Funchal, Câmara de Lobos, Calheta, Santa Cruz, Ribeira Brava e Porto Santo.

Um projeto imobiliário do grupo Pestana, na Praia Formosa, numa zona onde não eram permitidas edificações segundo o PDM, estará no rol de suspeitas envolvendo o presidente do Governo e a anterior secretária regional do Ambiente, Susana Prada, bem como o marido Paulo Prada, administrador daquele grupo empresarial. As dúvidas prendem-se com a inexistência de estudo de impacte ambiental.

Também o Correio da Manhã publica na capa outro dado da investigação que se prende com o projeto Dubai Madeira, envolvendo suspeitas de favorecimento entre Pedro Calado, Avelino Farinha e Custódio Correia, detidos para primeiro interrogatório a acontecer esta terça-feira depois de seis dias detidos sem serem ouvidos, o que já suscitou críticas por parte dos advogados.

194 visualizações
bottom of page