Buscar
  • Duarte Azevedo

Basebol pronto para o recomeço na Madeira


Comunidade venezuelana é grande entusiasta mas esse 'bichinho' está a alastrar


A maioria veio da Venezuela mas não são esses, apenas, os entusiastas do basebol na Madeira. A garantia é dada por um grande entusiasta da modalidade, Carlos Sousa, lembrando que no início deste século, quando o basebol teve alguma expressão na Região, houve um madeirense contratado para jogar nos Estados Unidos da América. Carlos Sousa, venezuelano mas filho de madeirenses e que, em 2006, esteve na inauguração do Estádio de Abrantes de Basebol com a seleção da Madeira... que venceu os dois jogos disputados.

Entretanto, em 2009 a modalidade parou a sua atividade, quando havia oito equipas na prática, tendo o regresso acontecido quase 10 anos depois. Mas a pandemia fez interromper a prática que, no entanto, está pronta para ser retomada, como ainda aconteceu o ano passado, então com o apoio da junta de Freguesia de São Martinho.

Aliás, é no espaço de relvado sintético existente na freguesia que o basebol tem-se feito sentir, mas também já houve prática no espaço do Juventude de Gaula. E quando for possível começar com alguma normalidade, os entusiastas do basebol na Madeira esperam poder contar com o Campo do Campanário, que já foi palco do espetáculo mas que, devido à inatividade, ficou impraticável. A Câmara Municipal da Ribeira Brava mostra-se interessada em apoiar pelo que o basebol da Madeira espera, apenas, que venha a acontecer uma abertura nas medidas restritivas devido à pandemia para que o regresso aos treinos, e aos jogos, voltem a ser uma realidade.

De referir que, para além de São Martinho, há coletividades madeirenses interessadas em incluir uma secção da modalidade, como é exemplo a Escola de Futebol João Inácio - o próprio João Inácio é um grande entusiasta do basebol. Mas outras certamente que se juntarão na Associação de Basebol da Madeira.

2 visualizações