Buscar
  • Henrique Correia

Bordadeiras da Madeira com mais 150 euros para meios de produção e bens de combate à Covid-19


Face à pandemia, torna-se premente "apoiar a aquisição de bens para combate à propagação do vírus, bem como, à aquisição certos meios de produção com vista a assegurar a sustentabilidade do setor do Bordado da Madeira".


O Governo Regional já tem publicada a resolução que permite atribuir um auxílio financeiro complementar às 1207 Bordadeiras da Região, cuja quantificação global de despesa não poderá ultrapassar o montante máximo fixado em € 181.050,00. O valor a atribuir a cada bordadeira é de 150 euros e tem como objetivo apoiar as beneficiárias na aquisição dos meios de produção e aquisição de bens de combate à propagação da doença COVID-19.

Esta decisão do Executivo Madeirense tem em conta que "a deterioração geral da conjuntura económica mundial e nacional teve um impacto negativo nos rendimentos das Bordadeiras da Madeira, em virtude da quebra abrupta da procura dos bens que produzem", além da quebra de rendimentos "ser temporalmente coincidente com o aumento das suas despesas, resultantes da necessidade extraordinária e involuntária da aquisição de bens para combate a propagação do vírus (viseiras, máscaras de proteção respiratória, gel desinfetante cutâneo, luvas de proteção)".

Na argumentação constante da resolução, o Governo considera, ainda, que se "agudizaram sobrecustos com a aquisição de material, utensílios e ferramentas de vanguarda que garantam a maximização do processo produtivo do Bordado Madeira, devido a reconhecida condição insular e ultraperiférica da RAM", bem como que "as Bordadeiras de casa não usufruem de um sistema permanente e sustentável de apoio direto à sua atividade artesanal, situação que tem motivado a frequente adoção de medidas de apoio à atividade, que se torna ainda mais indispensáveis ao abrigo da situação pandémica que se presencia".

Face à pandemia, torna-se premente "apoiar a aquisição de bens para combate à propagação do vírus, bem como, à aquisição certos meios de produção com vista a assegurar a sustentabilidade do setor do Bordado da Madeira". Tendo em análise, também, que "as bordadeiras exercem a sua atividade de forma individualizada e que para o exercício da mesma necessitam de utensílios próprios".

O Governo lembra que "a situação pandémica causada pela doença pandemia, motivou a adoção de um número indeterminado de medidas de caráter excecional com o objetivo de impedir a propagação geral do vírus", sendo que "as medidas sanitárias recomendadas e decretadas pelas autoridades de saúde, afetaram e impuseram restrições a diversas atividades económicas e comerciais, com impacto direto e manifesto no sector do comércio de produtos têxteis", o que na globalidade ajuda a perceber a necessidade deste apoio extra.

O Governo Regional "definiu como uma das suas prioridades a prossecução de políticas adequadas ao desenvolvimento, valorização e perseveração do Bordado da Madeira" e considera "o Bordado Madeira uma atividade artesanal inveterada na história do arquipélago, que constitui um imprescindível elemento da entidade e da cultura da Região Autónoma da Madeira (RAM)".

7 visualizações