Buscar
  • Henrique Correia

Câmara de Lobos fica com o antigo Centro de Saúde por 30 anos e vai gastar 750 mil


Governo cede edifício onde vão funcionar os serviços da Junta de Freguesia, a Associação Insular de Geografia, o Polo da Universidade Aberta e a Casa do Povo.


Não foi um acordo fácil, disse Pedro Coelho, o presidente da Autarquia de Câmara de Lobos, quando hoje assinou, na vice presidência, o acordo com o Governo para a cedência, ao Município, por 30 anos, do imóvel onde antigamente funcionou o Centro de Saúde. E não foi fácil porque ambas as partes defendiam os seus interesses, reforçou o autarca. O vice presidente esclarece que a dificuldade foi de ordem legal, uma vez que a é importante defender o património da Região. A cessão será gratuita, atendendo a que o espaço será utilizado para serviços de interesse público, destinados aos munícipes.

A Câmara vai requalificar o espaço, vai gastar 750 mil euros em dois anos e o concurso já é lançado para a próxima semana. Pedro Coelho não quer perder tempo, tem ideias objetivas para dar vida a um imóvel desativado, cujo ano de construção é 1956, e já definiu os serviços que serão para ali canalizados para trazer gente para o centro, dando assim prioridade a esta nova estratégia. Podia ser mais uma unidade hoteleira, mas o objetivo é que a zona central tenha pessoas, tragam mais consumo.

A posse, da Câmara, é por 30 anos, mas o prédio continua sendo da Região. Quando estiver pronto, depois das obras feitas, vão funcionar os serviços da Junta de Freguesia, a Associação Insular de Geografia, o Polo da Universidade Aberta e a Casa do Povo.

O vice-presidente do Governo relevou a política de proximidade da gestão de Pedro Coelho à frente da Câmara e disse que Câmara de Lobos evidencia um grande desenvolvimento, não sendo nada do que era há uns anos. Confirmou que o acordo é por trinta anos, com possibilidade de renovação por períodos de cinco anos até perfazer 50 anos.





6 visualizações