Buscar
  • Henrique Correia

Câmara do Funchal faz "garrote financeiro" a Santa Maria Maior, diz Coligação

Miguel Gouveia: "Apesar do castigo e do garrote financeiro que a CMF está a impor aos funchalenses desta freguesia, as evidencias do trabalho efectuado estão presentes do mar à serra”.




A acusação é da coligação Confiança que se queixa da atitude da Câmara de Pedro Calado para com a única junta de freguesia da Coligação, Santa Maria Maior.

Este sábado, os vereadores eleitos pela Confiança, Miguel Silva Gouveia, Vítor Jesus e Micaela Camacho, acompanhados pelo Presidente da Junta de Freguesia, Guido Gomes, visitaram a Santa Maria Maior, nos habituais contactos com a população, e verificando "o bom trabalho implementado por esta junta".

Nesta visita, o autarca Guido Gomes teve a oportunidade de mostrar no terreno as actividades desenvolvidas pela sua equipa, nomeadamente a melhoria das acessibilidades na protecção de pessoas com problemas de mobilidade, recuperação de habitações degradadas de famílias carenciadas, limpeza dos caminhos e vereadas, investimentos na reabilitação do espaço público, capacitação do parque escolar da freguesia, apoio social na área alimentar e educacional e dinamização de eventos de cariz cultural.

"Numa época em que as famílias atravessam muitas dificuldades e onde a proximidade do poder local pode fazer a diferença, é inadmissível que a Câmara Municipal do Funchal não só falte com a palavra dada por Pedro Calado nas transferências prometidas para este mandato, como não cumpra com os acordos que vinham sendo estabelecidos desde 2017, obrigando à Junta de Santa Maria Maior à devolução de verbas já aplicadas na freguesia", refere Miguel Gouveia.

Na única freguesia governada pela Confiança, Miguel Silva Gouveia constatou que “apesar do castigo e do garrote financeiro que a CMF está a impor aos funchalenses desta freguesia por terem votado em Guido Gomes, as evidencias do trabalho efectuado estão presentes do mar à serra”.

13 visualizações