Buscar
  • Henrique Correia

Câmara do Funchal quer contratar 83 funcionários e fazer 370 casas em 2023


Calado apresenta Orçamento Municipal de 128 milhões para 2023.






A Câmara do Funchal quer fazer mais 83 contratações de funcionários. Já decorrem concursos para 49 e a autarquia quer ainda contratar mais 34. Foram números avançados hoje durante a conferência de imprensa, buma formalidade que confirmou o que Pedro Calado já tinha anunciado no Diário: o Orçamento Municipal para 2023 é de 128 milhões de euros, o maior orçamento da última década, sendo que o aumento verificado em relação ao ano passado são mais 18 M€, o que significa mais 16%.

Na Habitação, são 370 fogos para 2023, sendo 202 no âmbito do 1º Direito, com apoio do IHRU, divididos por Imaculado, Santo António, São Martinho e São Pedro, a que se junta ainda 168 fogos a custos controlados, em Santo António e em São Gonçalo.

Ainda nesta área, registe-se o investimento que será efectuado na manutenção dos bairros sociais, em concreto na reparação de 400 fogos, num valor de 4,8 M€, mais a requalificação energética em curso em dois bairros, Palheiro Ferreiro e Ribeira Grande, num valor de quase dois M€", refere uma informação da CMF.

Pedro Calado destacou as principais áreas, sendo o social precisamente uma delas, com realce para o Apoio à Natalidade e à Família, com mais 18%, o PRESERVA - Reabilitação de Moradias, com mais 60%, o Subsídio Municipal do Arrendamento, com mais 30%, a Comparticipação Municipal de Medicamentos, com mais 30%, o Programa Municipal de Formação e Ocupação em Contexto de Trabalho, com, mais 61%, o HABITA – Pequenas Obras de Requalificação, com mais 127%, a que se junta ainda o novo programa de Teleconsultas Familiares e Veterinárias, no valor de 150 mil euros, tudo programas do Fundo de Investimento Social, com cerca de 5 M€, o que representa, no total, mais 47%, quando comparado com 2021.

Ainda na área social, mas já na educação, note-se também o aumento para os apoios. São mais 80% do que em 2021. São dois M€ para as Bolsas do Ensino Superior, mais 2,5% para Manuais Escolares do 1º, 2º e 3 º Ciclos – 241 mil euros, bem como investimentos de 100 mil euros em equipamentos básicos para as escolas.


2 visualizações