Buscar
  • Henrique Correia

Câmara embargou obra no Hotel Quinta do Sol e vai pedir parecer para o Casino



As obras que estavam a decorrer necessitavam de projeto e de licenciamento, e como isso não foi solicitado, tiveram de ser embargadas.



Facebook Ana Teresa Klut


A obra já tinha sido alvo de críticas por parte da Ordem dos Arquitetos. A intervenção na Quibta do Sol tem irregularidades.

Por isso, o presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, anunciou hoje, após a Reunião de Câmara semanal que, "na sequência de uma ação de fiscalização que a CMF fez ao Hotel Quinta do Sol, foi embargada a respetiva obra, uma vez que se constatou que existiam intervenções que não eram de escassa relevância, como tinha sido comunicado ao Município. As obras que estavam a decorrer necessitavam de projeto e de licenciamento, e como isso não foi solicitado, tiveram de ser embargadas."

Miguel Silva Gouveia sublinhou que "tal como é sabido, a Ordem dos Arquitectos manifestou a sua total disponibilidade para colaborar com a CMF naquelas que são as intenções de preservação do património histórico e arquitetónico edificado no Funchal, sendo que esta ação de fiscalização veio na sequência de uma reclamação feita pela OA. A CMF enaltece, deste modo, que todos os parceiros são bem-vindos no sentido de ajudar a edilidade a proteger este património."

Nesse sentido, o Presidente também anunciou que vai aprofundar a colaboração com OA e que "a Autarquia vai solicitar um parecer da Ordem para outra obra num edifício icónico da nossa cidade, como é o caso do Casino Park Hotel, a qual também está neste momento embargada, devido à construção de uma piscina na cobertura do Casino que não estava licenciada. Aceitando essa colaboração, vamos solicitar à Ordem dos Arquitectos uma apreciação das alterações que, entretanto, foram submetidas à CMF, para licenciamento da piscina, procurando perceber se aquela intervenção põe ou não em causa o interesse arquitetónico e o valor patrimonial histórico do prédio."

"É com este tipo de parcerias que as cidades e as comunidades ficam a ganhar e estamos disponíveis para trabalhar em conjunto com todas as entidades que queiram contribuir para a preservação do nosso património e da identidade do Funchal", concluiu Miguel Silva Gouveia


11 visualizações