Buscar
  • Henrique Correia

Célia ameaça queixar-se do Governo: "o dinheiro da Europa não é de um partido"


Líder do PS-M Paulo Cafôfo diz que o Governo de Miguel Albuquerque "tem tiques centralistas de quem se diz autonomista, mas não respeita a autonomia do poder local".



Célia Pessegueiro, candidata pelo PS à Câmara da Ponta do Sol, foi dura com o Governo Regional por causa dos acessos dos municípios aos fundos comunitários.

A candidata e presidente da Câmara quer colocar um fim na "discriminação com que o município se depara no acesso aos fundos comunitários. O dinheiro da Europa não é de nenhum partido, não é de nenhum governo, é de todos nós”, defende.

Este sábado, num almoço-comício na Ponta do Sol, onde também o presidente do PS Madeira, Célia Pessegueiro adiantou que, nos próximos dias, fará chegar ao Governo Regional uma lista com os 10 projetos para caminhos agrícolas, contando receber uma resposta positiva que resulte na abertura dos avisos. Se tal abertura não acontecer a atual presidente da Autarquia da Ponta do Sol pretende "avançar para uma queixa junto da União Europeia".

“Se continuar a discriminação e o uso dos dinheiros comunitários com fins partidários nós vamos apresentar queixa junto da Autoridade de Gestão dos Fundos e junto da União Europeia por fraude e discriminação no uso de fundos comunitários”, avança a atual autarca, numa nota da sua candidatura.

Célia Pessegueiro conclui que “temos a certeza que essa queixa será atendida porque os dinheiros não são para serem usados pelos partidos, nem em chantagem em campanhas eleitorais, as verbas são de toda a população. Vão ter luta da nossa parte e não vão usar essa ameaça contra a população da Ponta do Sol”.

O presidente do PS-M aproveitou a ocasião para sublinhar que “o PS apoia e acredita verdadeiramente no poder local”, ao contrário do que fez o Governo Regional quando colocou as Câmara Municipais à margem da gestão das verbas provenientes da ‘bazuca’ europeia, tratando o poder local como órgãos inúteis.

“Há aqui tiques centralistas, tiques colonialistas de quem se diz autonomista, mas não respeita a autonomia do poder local, nem valoriza o poder local”, frisou.

Paulo Cafôfo vê com muita preocupação a questão da distribuição destas verbas, lembrando o “currículo do PSD”, no desbarato da aplicação de fundos comunitários em obras inúteis, dando como o exemplo a Marina do Lugar de Baixo, na Ponta do Sol. Refere mesmo que retirar os partidos com assento parlamentar da comissão de acompanhamento e colocar “os amigos do Governo Regional” é o mesmo que “colocar a raposa a guardar o galinheiro”.

7 visualizações