Buscar
  • Henrique Correia

Cafôfo ao "ataque" contra "estratégias cobardes" e "combate político da lama"

O líder do PS-M não poupou nas palavras sobre as "motivações políticas" que originaram as denúncias anónimas e dis estar "do lado da verdade"


Paulo Cafôfo "entrou com tudo", hoje, no Parlamento. O "tudo" para reagir à investigação que vem decorrendo, a quatro câmaras municipais do PS, com buscas envolvendo o próprio partido na Região. O líder socialista não está contra as iniciativas da Justiça, mas as circunstâncias que levaram às mesmas, as denúncias anónimas. E não poupou nas palavras usadas para expressar o seu descontentamento. Reage e promete luta

Cafôfo defende que é importante a Justiça fazer o seu trabalho, no seu tempo, mostra total disponibilidade para apuramento da verdade, pede celeridade num processo "cuja motivação seja a Justiça e não política, deixando à Justiça o que é da Justiça".

Acontece que Cafôfo, ao mesmo tempo que aceita o "timming" da Justiça, também quer que seja rápida para o esclarecimento de eventuais dúvidas, que segundo o que se sabe, têm a ver com ajustes diretos pouco esclarecidos envolvendo uma empresa de um antigo deputado municipal socialista.

O líder do PS Madeira afirmou que se rege pelis princípios da "transparência, honestidade, integridade, rigor, solidariedade e respeito pela diversidade" contra o que considerou como "estratégias cobardes e demagógicas", sublinhando que sempre foi alvo de "campanhas sujas do combate político da lama e não das ideias". Diz que está "do lado da verdade e não me vergo. As motivações são políticas e o objetivo é atingir o PS Madeira no seu todo", acentuando que as denúncias anónimas devem ser motivo de preocupação na política da Madeira.


6 visualizações