Buscar
  • Henrique Correia

Cafôfo quer saber a eficácia da dupla testagem e diz que a medida é discriminatória


"A narrativa da gestão exemplar da pandemia, muito amplificada pelo Governo Regional, há muito que caiu por terra. O período do Natal foi apenas o mais recente exemplo das contradições do executivo", diz o líder do PS-M




O PS Madeira veio hoje a público, numa nota assinada pelo líder regional Paulo Cafôfo, criticar o Governo Regional de Miguel Albuquerque por não ter agido a tempo ao aumento de casos e de apenas ter reagido depois do alerta dos autarcas.

"O Governo liderado por Miguel Albuquerque não teve a capacidade ao longo das últimas semanas para responder de forma atempada, responsável e acertada à evolução da pandemia de Covid-19 na Região", referem os socialistas.

O PS-M salienta que "apenas perante os alertas lançados por autarcas, com especial destaque para a posição responsável tomada pelo presidente da Câmara Municipal da Funchal, e a pressão da opinião pública, o Governo Regional decidiu reunir apressadamente para tomar medidas que significam um agravamento significativo das medidas e agravam os impactos económicos e sociais"

O PS Madeira considera "fundamental que o Governo Regional tenha o cuidado, a responsabilidade e a sensibilidade de informar detalhadamente toda a comunidade escolar e as famílias sobre os procedimentos a tomar nos próximos dias, de modo a que se possa retomar as aulas em segurança. Apenas dessa forma se poderá minimizar os impactos das novas medidas junto das famílias".

O PS Madeira considera também "essencial que questione e avalie a eficácia e racional da dupla testagem. O tempo veio confirmar que esta é uma medida discriminatória, lançada pelo Governo Regional sem atempar a capacidade de resposta necessária para ter aplicabilidade prática e que mais não é do que o argumento para esconder o falhanço da estratégia e apontar responsabilidades aos estudantes e aos emigrantes na sua chegada à Região. A narrativa da gestão exemplar da pandemia, muito amplificada pelo Governo Regional, há muito que caiu por terra. O período do Natal foi apenas o mais recente exemplo das contradições do executivo

Sublinham os socialistas que " o ano de 2021 acabou de se iniciar e todos temos legítimas esperanças de que seja bem melhor do que 2020. Não é admissível insistir nas velhas e gastas soluções de sempre, que já deram mostras de não funcionar na resposta à pandemia. Exige-se responsabilidade, rigor, competência, capacidade de tomar decisões difíceis, mas necessárias e, acima de tudo, saber comunicar as medidas aos madeirenses e porto-santenses de forma clara e objetiva. O Governo Regional não pode não assumir o falhanço das suas decisões e continuar a apontar responsabilidades para a população".

5 visualizações