Buscar
  • Henrique Correia

Calado começou a visitar instituições: Casa do Povo e Centro Luís de Camões


"Estas instituições e o meritório trabalho que efetuam são fundamentais para a sociedade"




O vice presidente do Governo Regional já deu início a uma nova estratégia de partilha entre as funções governativas e de candidato às eleições autárquicas no Funchal. A visita que ontem fez, com a secretária regional da Inclusão, ao Centro Luís de Camões, já está devidamente publicitada no site do Governo e na página pessoal do Facebook, a mesma página onde tem feito várias pública de campanha, também expressa numa outra página mais recente de "Funchal sempre à Frente", criada mais recentemente.

O Centro Luís de Camões é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), que conta já com 29 anos de existência, fundada com o objetivo de apoiar a população residente no Bairro do Hospital e zonas envolventes da freguesia de São Pedro, no Funchal, através da realização de ações de natureza recreativa, cultural, desportiva e social. Desde 1998, adquiriu estatuto de IPSS e presta atualmente diversas respostas sociais à população da freguesia, nomeadamente através do centro comunitário e centro de convívio, que acolhem diariamente 85 utentes, da mercearia e loja social, onde são disponibilizados bens alimentares, roupas e outros artigos à população em situação de maior vulnerabilidade social e económica", pode ler-se na página do Governo.

"A este propósito, Pedro Calado, já na sua página, considerou que "estas instituições e o meritório trabalho que efetuam são fundamentais para a sociedade, mais ainda neste tempo de pandemia, daí terem o apoio do Governo Regional"

Hoje, Pedro Calado vistou, também com Augusta Aguiar, a Casa do Povo de São Roque, que inaugurou, em 2009, o seu Centro de Dia, com capacidade para 50 utentes. Este centro de dia "veio dar resposta a um dos anseios da população local, colmatando a lacuna anteriormente existente de um equipamento social para a terceira idade na freguesia, que desenvolva atividades de ocupação e recreação para a população idosa residente, com vista à sua participação ativa e consequente inclusão social", refere a nota do Governo.

12 visualizações