Buscar
  • Henrique Correia

Calado desafia Lisboa a pagar parte dos custos do desenvolvimento digital


Presidente da Câmara do Funchal quer desenvolver a cidade de "mãos dadas com o Governo Regional".


O presidente da Câmara Municipal do Funchal foi hoje ao Teatro Baltazar Dias, à abertura do seminário Createfunchal, falar de novo na grande proximidade da Autarquia com o Governo Regional, mas também para desafiar o Governo da República, aproveitando a presença, nesta iniciativa conjunta da CMF e o ITI – Interactive Technologies Institute, do secretário de Estado da Economia, no sentido de "sensibilizar o Estado a assumir, com a Região, os custos do "desenvolvimento digital".

Pedro Calado adiantou que "há muito por pensar" e "muito por fazer", sendo este "o momento certo" para tal acontecer. Diz que "o Município do Funchal, nestas áreas, encontra-se preparado e está mesmo à frente, salientando não só o desenvolvimento existente em tecnologias, tal como as "boas parcerias" existentes com a autarquia, destacando igualmente, com o importante, o "excelente relacionamento" existente com o Governo Regional.

Calado garante ser possível "pensarmos a cidade, se estivermos de mãos dadas com o Governo Regional da Madeira, sobretudo institucionalmente, já que, frisou, não se pode pensar uma cidade como o Funchal se não tivermos em linha de conta os investimentos que estão a ser preparados e realizados na Região".

Salientando que a Região não pode estar isolada, digital e tecnologicamente, o presidente da CMF apontou que, embora a Madeira não tenha uma grande capacidade de produção e exportação de bens, tem, contudo, "uma capacidade infindável de produzir serviços, usando as tecnologias e trabalhando para todo o mundo", sendo «exactamente isto" que deve ser potenciado, relembrando o que esta acontecer, na Região e neste sentido, com «os nómadas digitais", refere uma nota do gabinete de comunicação.

7 visualizações