Buscar
  • Henrique Correia

Calado volta a "picar" Miguel Gouveia: "A culpa não vai morrer solteira"


"O apuramento de responsabilidades pela situação financeira da CMF, nomeadamente, a dívida oculta, avaliada em 33 milhões de euros, será feito sem "vinganças".





Pedro Calado não "larga" a anterior gestão de Miguel Gouveia. E usa a expressão "a culpa não vai morrer solteira" para se referir ao apuramento das responsabilidades sobre o que considera ter sido erro da Coligação Confiança. As declarações foram feitas no âmbito das Jornadas Municipais do Grupo Municipal do Funchal Sempre à Frente na Assembleia do Funchal, com tema principal a ter versado sobre a sustentabilidade financeira da Câmara Municipal do Funchal. A iniciativa decorreu no Centro de Estudos de História do Atlântico.

O atual presidente da Câmara fez questão de frisar que "o apuramento de responsabilidades pela situação financeira da CMF, nomeadamente, a dívida oculta, avaliada em 33 milhões de euros, será feito sem "vinganças", mas que não irá "deixar a culpa morrer solteira", lembrando ainda os "condicionamentos" que esta situação traz à governação do município.

Apesar da gravidade da situação, Pedro Calado fez questão de frisar que "fomos eleitos para governar e encontrar soluções" para os problemas. Nesse sentido, exemplificou várias situações em que foram encontradas estas soluções, tais como "o caso da ciclovia", o reforço dos apoios financeiros na área da cultura, que também irá acontecer no desporto e em outras áreas, entre outros exemplos que deu.

Na sua intervenção, o presidente da CMF abordou ainda a relação das Juntas de Freguesia com a população, exortando os executivos do Funchal Sempre à Frente, destes órgãos de poder local, «a não baixarem os braços, a não perderem o contacto com a população, a resolverem os problemas".

17 visualizações