Buscar
  • Henrique Correia

"Campeão" da Covid-19 avisa que o "verde" para a Madeira está sob vigilância



Reino Unido explica que a Região está num "verde vigilante", o que significa que tanto ficou na lista verde como pode ficar na amarela ou na vermelha. E a Madeira? Quando é que coloca o Reino Unido na lista "verde vigilante" relativamente a proveniências de risco?




O Reino Unido debate-se com uma nova onda pandémica da Covid-19, causada pela variante Delta, que já é dominante em Portugal e cuja presença, na Madeira, ainda está em análise. O Reino Unido registou 16.703 novos casos nas últimas 24 horas, sabe-se que é um máximo desde 06 de fevereiro. Tem um total de 128.048 mortes desde o início da pandemia, que é o número mais alto na Europa. É verdade, também, que é um dos países mais avançados na vacinação: 83% da população adulta tem a primeira dose e 61% as duas doses.

Mas é este mesmo Reino Unido que depois de ter colocado a Madeira na lista verde das viagens seguras, que fez toda a Região agradecer encarecidamente, vem agora dizer que é um "verde vigilante", classificação que constitui um aviso ao arquipélago para ter em conta que o RU dá e tira com uma facilidade. Só Malta é que é um verde livre, o resto é livre vigilante, como disse o ministro dos dos Transportes britânico, Grant Shapps.

“Se as pessoas se encontrarem numa situação em que, a partir da semana que vem, querem sair, então estes são os locais para onde podem ir de férias. Claro, estando cientes de todas as ressalvas sobre o risco de as coisas mudarem pois, com este vírus, sabemos que isso acontece”, disse à Sky News, como cita a pública online Multinews.

Esta advertência britânica, a que se junta a Alemanha ter colocado a Madeira na lista vermelha, faz a Região estar confrontada com este cenário de uma espécie de "corda bamba", em que o Reino Unido, que tem um quadro pandémico preocupante, avisa a Madeira, com um quadro pandémico muito positivo, que a todo o momento pode passar de verde a vermelha num abrir e fechar de olhos...britânicos.

A Madeira precisa do mercado turístico britânico. E como disse Eduardo Jesus, representa 63 mil lugares em julho e agosto, o que para a hotelaria, restauração e similares, é importante. Mas com estes constantes avisos das terras de Sua Majestade, começa a ser importante também, ponderar a colocação do Reino Unido numa lista "verde vigilante" para a Madeira, referente à origem segura dos turistas.



8 visualizações