Buscar
  • Henrique Correia

Carlos Pereira defende rápida regulamentação do subsídio de mobilidade


"Ao mesmo tempo, tem de ficar assegurado que as companhias aéreas, nomeadamente as ‘low cost’, se mantêm na rota".




O cabeça de lista do Partido Socialista-Madeira às eleições para a Assembleia da República, Carlos Pereira, afirmou ser decisivo que a regulamentação do modelo de subsídio de mobilidade seja concretizada este ano, garantindo que os madeirenses paguem apenas 86 euros nas viagens entre o Continente e a Região e, simultaneamente, que se mantenham as companhias aéreas a voar para a Madeira.

Esta posição foi assumida, esta noite, à margem de um encontro com apoiantes e simpatizantes em São Vicente, onde o candidato lembrou que o modelo de mobilidade foi aprovado na Assembleia da República, mas deu conta da chantagem que algumas companhias aéreas foram fazendo, “ameaçando que saíam da rota entre a Madeira e o Continente se esse modelo fosse aplicado”.

“O ano de 2022 é crítico para assegurar que os madeirenses terão um modelo que permite viajarem a 86 euros e que pagam exatamente esses mesmos 86 euros”, disse Carlos Pereira, considerando que, ao mesmo tempo, tem de ficar assegurado que as companhias aéreas, nomeadamente as ‘low cost’, se mantêm na rota. Para tal, sustentou que é necessária uma negociação competente, até porque a Madeira não pode estar dependente apenas da TAP, para garantir que o turismo continua a prosperar e os madeirenses têm acesso a várias companhias para se poderem deslocar ao continente.

1 visualização