Buscar
  • Henrique Correia

Carlos Pereira pede para "ir" ao Representante, um cargo que acha "inútil e desnecessário".


"A sua existência é um ultraje para a autonomia . É apenas de corpo presente, inútil e desnecessário, não dignificando o processo autonómico".



O deputado Carlos Pereira, que como se sabe tem assento na Assembleia da República pelo PS Madeira e já foi líder da estrutura regional socialista, saindo com "cara de poucos amigos" face ao novo quadro que acabou por conduzir Paulo Cafôfo ao poder no partido, pediu para falar com o Representante da República, um pedido de audiência, é já daqui a pouco, pelas 11 horas.

Nada tem de anormal, Ireneu Barreto vai recebê-lo, como aliás já o fez por diversas vezes enquanto líder do PS-M e líder parlamentar. Acontece apenas, e como curiosidade política, que esta audiência ocorre nem duas semanas depois de Carlos Pereira ter feito referências nada abonatórias para o cargo, alvo de debate ao longo dos tempos, hoje ocupado, pela primeira vez, por um natural da Madeira.

De facto, há poucos dias, a propósito da deslocação à Madeira da candidata presidencial Marisa Matias, do Bloco, Carlos Pereira pronunciou-se sobre algumas das declarações, que no seu entender fizeram a defesa da figura do Representante da República.

Escreveu o deputado que "a defesa da descentralização é a forma habilidosa que alguns tentam para esconder a sua desconfiança com a regionalização. Não . Não é a mesma coisa . É mesmo pior para todos quando as necessidades de consolidar o princípio de subsidiariedade começa pela descentralização deixando a regionalização em segundo plano ....Nem vou comentar a defesa do representante da república . A Senhora não faz ideia do que fala . Tem alguma noção das funções afectas ao cargo ? A sua existência é um ultraje para a autonomia . É apenas de corpo presente, inútil e desnecessário, não dignificando o processo autonómico".

Seja para o que for, parece até que pode ser para falar das inspeções, como o próprio deputado faz referência no Diário, sendo que há poucos dias escrevia, a este propósito, que há temas que são consequências de erros e opções pouco transparentes que não podem esperar. As inspeções automóveis na Madeira é uma delas. LAMENTAVELMENTE, apesar de todas as evidências e das recomendações da Autoridade da Concorrência, NENHUM partido tomou a iniciativa de apresentar na ALRAM uma proposta que permita que este sector cumpra a lei , que surgem novos operadores e que seja possível ter qualidade e preço mais adequado nas inspeções".

Seja para o que for, Carlos Pereira considerou importante e pediu para falar com um detentor de um cargo " de corpo presente, inútil e desnecessário".

Terá o encontro, assim, alguma utilidade?


7 visualizações