Buscar
  • Duarte Azevedo

CD Nacional paga ao CS Marítimo e à AD Machico pelo guarda-redes Rui Encarnação


O CD Nacional contratou esta temporada um guarda-redes que fez toda a sua formação com a camisola alvinegra: Rui Encarnação. Mas para o ter de volta, dizem os regulamentos, terá de pagar a outros clubes.


Rui Filipe Teixeira da Encarnação, 22 anos (5-4-1998), madeirense, até aos juniores foi alvinegro, vivendo a primeira temporada como sénior representando o CSD Câmara de Lobos. Na temporada de 2018/2019 ingressou no C.S. Marítimo, nomeadamente para representar a equipa de Sub 23, onde não é obrigatório ser profissional. Na época imediata Rui Encarnação jogou pela AD Machico. Sempre como atleta amador. No começo desta temporada, o guarda-redes assina pelo Nacional, integrando o plantel liderado por Luís Freire. Ou seja, numa equipa da principal Liga portuguesa, logo com a obrigação de ser futebolista profissional. Logo, com os clubes onde esteve a ficarem com direito a 'compensação por formação' na medida em que Encarnação assinou o tal contrato de profissional antes de completar 24 anos - ainda só tem 22. Desses clubes que têm direito a receber uma determinada verba por parte do CD Nacional, o Câmara de Lobos prescinde de tal na medida em que o guarda-redes ingressou na coletividade dirigida por Higino Teles por solicitação dos câmaralobenses. Ou seja, eticamente seria uma exigência condenável, tipo 'cuspir no prato onde se come'... Já quanto a Marítimo e AD Machico a situação é diferente. As duas coletividades têm direito a essa compensação, portanto... De acordo com o Comunicado Nº 1 da FPF, o Marítimo, como clube da I Liga, tem direito a receber 10% de 90 mil euros enquanto à AD Machico, clube dos 'regionais', cabe 10% de 10 mil euros. E isto porque tanto verde-rubros como machiquenses são coletividades certificadas como 'entidades formadoras' por parte da FPF.


12 visualizações