Buscar
  • Henrique Correia

CDS de Câmara de Lobos "pica" o PSD e diz que os apoios só chegaram a 13%


Amílcar Figueira diz que apresentou proposta para aligeirar o regulamento, mas a Câmara não reagiu.



O vereador do CDS em Câmara de Lobos, onde os partidos da coligação regional vão isolados às eleições autárquicas, não poupa a gestão de Pedro Coelho, do PSD, em matéria de apoios às empresas. Com um dado que não deixa margem para dúvidas e obrigará a Câmara a explicar esta falta de eficácia: apoio não atingiu os objetivos propostos, tendo chegado apenas a 13% das empresas, ou seja, das 642 empresas que estão em atividade apenas 84 foram apoiadas.

Não passou de um anúncio, diz o vereador do CDS, revelando que apresentou "uma proposta de alteração ao regulamento, a fim de aligeirar toda a burocracia exigida peoo regulamento proposto pelo PSD". Acentua Amílcar Figueira que "durante a discussão do orçamento municipal de Câmara de Lobos, para 2021, o CDS absteve-se, devido a não constar nenhuma medida de apoio às empresas!

Dois meses após essa votação, mais precisamente em fevereiro deste ano, o executivo do PSD (acordando para a realidade), anunciou, com pompa e circunstância, um apoio às micro e pequenas empresas, ao setor do táxi e à cultura, no valor de 600 mil euros, admitindo o presidente da Câmara que esse valor poderia chegar aos 800 mil euros, caso houvesse uma forte adesão por parte dos empresários"

Acrescenta Amílcar Figueira que "esse apoio tinha como finalidade ajudar a minimizar prejuízos causados pela pandemia. Tendo em linha de conta que essa medida ia ao encontro do que havia defendido o CDS, naturalmente votamos a favor da mesma. Acontece que, às vezes, aquilo que inicialmente é uma boa proposta acaba, na prática, por não atingir os reais objetivos.

4 visualizações