Buscar
  • Henrique Correia

CDS queria isenção de rendas e não adiamento para pagar


Comerciantes dos mercados municipais já poderiam ter beneficiado com a isenção das rendas dos meses de outubro, novembro e dezembro, isenção essa, proposta pelo CDS, e que foi aprovada em Assembleia Municipal



O CDS veio hoje a público justificar o voto contra o adiamento no pagamento de rendas em espaços concessionados pela Câmara do Funchal.

Os centristas não concordam com esta solução que o executivo camarário encontrou para os comerciantes funchalenses, "sendo que, uma vez esgotado os prazos desta moratória, já no próximo mês de julho, os comerciantes terão de pagar, na totalidade, a renda do mês em curso, bem como a renda dos seis primeiros meses do ano (de janeiro a junho)"

Para Ana Monteito "esta não pode ser a solução para os nossos comerciantes, insistimos e somos favoráveis à isenção total das rendas nos espaços concessionados pela autarquia, algo que defendemos desde o início da pandemia.

E temos a, mais uma vez, lamentar que os comerciantes dos mercados municipais já poderiam ter beneficiado com a isenção das rendas dos meses de outubro, novembro e dezembro, isenção essa, proposta pelo CDS, e que foi aprovada em Assembleia Municipal em dezembro no ano passado, sendo que esta sim é uma medida benéfica para alívio dos comerciantes que, como sabemos, vivem tempos difíceis, fruto da crise económica provocada pela pandemia.

3 visualizações