Buscar
  • Henrique Correia

Certificados falsos levam ARAE às discotecas; "Houve facilitismo", diz Albuquerque


"Não queremos perseguir ninguém nem colocar em causa os negócios; queremos é manter a sociedade a funcionar, com um mínimo de regras preventivas".




A situação não é para menos. Miguel Albuquerque disse hoje que têm aparecido certificados de vacinação falsos para entrada nas discotecas e por isso, já no próximo fim de semana, a ARAE estará no terreno a fiscalizar para evitar situações de fraude. "Os prevaricadores serão autuados! Quanto à participação em festas como a dos finalistas, só com teste à COVID realizado", revela o presidente do Governo à margem de uma visita à empresa Lobosteel, no concelho de Câmara de Lobos.

Miguel Albuquerque diz ter tido "conhecimento de infrações desde que as discotecas abriram, com pessoas a apresentarem certificados falsos para poderem entrar". Vai avisando que "não tolera facilitismos".

Ao mesmo tempo, reforça que eventos como festas dos finalistas só serão abertos a quem se apresente com teste (PCR ou antigénio) à COVID realizado. Mesmo os que tenham já as duas doses de vacinação", refere uma publicação nas plataformas digitais do Governo.

"Houve algum facilitismo neste último fim-de-semana e o facilitismo é péssimo para aquilo que nós pretendemos. Não queremos perseguir ninguém nem colocar em causa os negócios; queremos é manter a sociedade a funcionar, com um mínimo de regras preventivas, para as pessoas terem a possibilidade de desenvolverem os seus investimentos, os seus negócios, sem termos de voltar para trás. Esse é o nosso objetivo», lembrou.

"Tivemos excelente comportamento durante a pandemia e não podemos estragar agora. A pandemia ainda não acabou".

Miguel Albuquerque sublinhou ainda que "os efeitos da COVID numa pessoa vacinada não têm os efeitos devastadores que têm numa pessoa que não está vacinada". Aliás, sustenta, «vários dos casos são assintomáticos, como aconteceu num Lar, em Gaula".

6 visualizações