Buscar
  • Henrique Correia

Coligação PSD/CDS evita disputas eleitorais entre parceiros, diz Albuquerque


"O mais importante é colocarmos, em primeiro lugar, a defesa dos interesses da Região e é isso que temos vindo a fazer".




Uma coisa é uma coligação pontual que serve aos dois, como foi o caso do Governo Regional, outra coisa é alargar esse modelo às Autárquicas, então já com uma ligação alargada e a justificar uma candidatura conjunta nas próximas eleições nacionais antecipadas. Foi mais ou menos esta a explicação de Miguel Albuquerque sobre a coligação PSD/CDS. Digamos que a coligação está em estado adulto e a união é para tudo daqui para a frente. As bases já ficam a saber.

Miguel Albuquerque reafirmou, assim, que o PSD vai às eleições antecipadas nacionais coligado com o CDS. Mas ao contrário do que tem sucedido com decisões anteriores, já foi mais ponderado ao nível do respeito pelas órgãos do partido ao dizer que vai apresentar essa solução no Conselho Regional do PSD/Madeira que terá lugar a 20 de novembro. As declarações foram prestadas aos militantes do Porto Santo, onde o PSD manteve a Câmara.

“O mais importante é colocarmos, em primeiro lugar, a defesa dos interesses da Região e é isso que temos vindo a fazer, na base de uma estratégia política que tem resultado e que resultou nas últimas Autárquicas”, disse, vincando que, havendo uma solução de coligação com o CDS no Governo Regional e, agora, nas principais Câmaras Municipais, incluindo a do Porto Santo, não faz sentido entrar em disputas eleitorais com este parceiro político".

9 visualizações