Buscar
  • Henrique Correia

Conheça a decisão do Governo português que impede a entrada de cidadãos do Reino Unido



Proibição entra em vigor às 00h00 de dia 21 de dezembro, segunda-feira. Em Portugal, não se confirma a circulação desta variante do SARS-Cov-2 identificada no Reino Unido, de acordo com os dados obtidos até ao momento pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge.



Na sequência da evolução da situação epidemiológica no Reino Unido, o Governo da república determinou hoje várias medidas que impedem a entrada de cidadãos do Reino Unido nos aeroportos em Portugal, uma situação que vai afetar fortemente o turismo madeirense, sobretudo nesta época de Natal e final do ano, em que o fluxo turístico ia apresentar alguma retoma. A medida do governo português tem a ver com as restrições adotadas pelo Reino Unido, na sequência do aparecimento de uma variante do vírus, 70% mais contagiosa.

Estas decisões, que afetam 21 mil lugares já reservados para o final do ano, surgem num dia em que a Madeira registou 31 casos positivos de Covid-19, 10 dos quais importados do Reino Unido, uma situação que perfaz 38 casos positivos do RU numa semana.


Confira o comunicado com as seguintes medidas, em vigor a partir das 00h00 de dia 21 de dezembro, segunda-feira:


- Apenas são autorizados a entrar em território nacional os passageiros de voos provenientes do Reino Unido que sejam cidadãos nacionais ou cidadãos legalmente residentes em Portugal;

- Estes passageiros têm de apresentar, à chegada a Portugal, comprovativo de realização de teste laboratorial para rastreio da infeção por SARS-CoV-2, com resultado negativo;

- Os cidadãos que não sejam portadores de comprovativo de realização de teste laboratorial com resultado negativo são encaminhados pelas autoridades competentes, à chegada a território nacional, para a realização do referido teste no interior do aeroporto, através de profissionais de saúde habilitados para o efeito;

- Neste caso, os cidadãos terão de ficar em isolamento nos termos definidos pelas autoridades de saúde.

Esta medida será atualizada de acordo com a evolução da situação.


Em Portugal, não se confirma a circulação desta variante do SARS-Cov-2 identificada no Reino Unido, de acordo com os dados obtidos até ao momento pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge que já englobam análise de amostras do mês de novembro e da segunda vaga.

7 visualizações