Buscar
  • henriquecorreia196

Dívida da Madeira nos 5.441 milhões; os 6 mil milhões de Jardim deram no PAEF



A dívida não desceu quanto podia, antes subiu 105 milhões relativamente a período homólogo de 2020, devido aos empréstimos da pandemia e as tranches não pagas do compromisso do PAEF.




A dívida da Madeira era de 5.441 milhões de euros a 30 de junho de 2021. A pandemia prejudicou, obrigou a maior despesa, a empréstimos e os resultados estão à vista, a dívida não desceu quanto podia, antes subiu 105 milhões relativamente a período homólogo de 2020. Os dados estão no boletim da dívida, da vice presidência do Governo.

O Governo faz contas e diz que, se tirar o empréstimo e as prestações do PAEF, o Plano de Ajustamento Económico e Financeiro de má memória, não amortizadas em 2020 e 2021, o valor desce. Mas isso é estratégia contabilística porque esses valores são dívida.

Por falar em PAEF de má memória, foi necessário, recorde-se, depois de uma dívida de 6 mil milhões que abalou o País e particularmente a Madeira, com Jardim debaixo de "fogo" por causa de uma dívida oculta que o próprio Jardim negou mas que Passos Coelho, que não morria de amores por Jardim, considerou grave.

Na altura, o secretário regional das Finanças era Ventura Garcês, num governo que então já não partilhava, em surdina, de muitas das decisões jardinistas e muito menos da dívida. Havia uma crítica forte a Jardim, que não era alargada necessariamente ao Governo, onde alguns membros até tinham boas relações com quem hostilizava o líder.

Então, o governante das Finanças confirmou que "a dívida pública da Madeira ascendia a seis mil milhões de euros, em outubro, mais 200 milhões do que inicialmente contabilizado". Na altura, o Diário Económico apontava que "os resultados da auditoria às contas da Região concluem que faltam 500 milhões de euros na dívida apresentada pelo Governo Regional da Madeira de 5,8 mil milhões, totalizando o buraco financeiro em 6,3 mil milhões".

O secretário disse que o aumento da dívida se deveu a encargos com as SCUT rvias sem custos para o utilizador] e obras públicas.

"Em Outubro, a dívida global, mais os compromissos, incluindo todo o sector público da Madeira, é de seis mil milhões de euros", afirmou em resposta a uma questão levantada pelo deputado socialista Vítor Freitas, durante o debate sobre o programa do XI Governo Regional, publicava o DN Lisboa.

Na época, Passos Coelho, que Jardim acusou de validar o assalto ao poder no PSD-Madeira, considerava "grave" e "sem compreensão." Foi a reação ao "buraco" nas contas da Madeira, que obrigava à revisão em alta do défice entre 2008 e 2011.

Num comunicado conjunto, o Instituto Nacional de Estatística (INE) e o Banco de Portugal (BdP) revelaram que "factos novos recentemente apurados" permitiram descobrir um buraco de 1113 milhões de euros, não contabilizados, entre 2008 e 2010, a que se juntam mais 568 milhões respeitantes a este ano. Ao todo, a Madeira ocultou 1681,3 milhões de euros em menos de quatro anos".

Dez anos depois, com a recuperação levada a efeito, o pagamento das obrigações do PAEF e as consequências da Covid-19, a dívida mantém-se elevada, nos 5.441 milhões.


44 visualizações