Buscar
  • Henrique Correia

D. Nuno Brás aplica no Terreiro da Luta o dinheiro do ofertório de 1 e 2 de janeiro


Bispo lembra que o tempo do Advento convida-nos à esperança: "Parece contraditório ser convidado à esperança no meio desta pandemia que persiste em estar connosco".

Foto Facebook Diocese.


O Bispo do Funchal revelou, na sua mensagem do Advento, que este ano convida "todos a que a nossa renúncia do Advento (ofertórios do Sábado e Domingo, 1 e 2 de janeiro 2022) reverta para as obras que teremos que realizar no chamado "Terreiro da Luta". É um lugar dedicado à paz, que convida à oração pela paz, e que está a necessitar de obras urgentes, como é do conhecimento público".

D. Nuno Brás lembra: "Uma vez mais começamos o tempo do Advento. Com ele, somos convidados à esperança. Parece contraditório ser convidado à esperança no meio desta pandemia que persiste em estar connosco, em ceifar vidas, em encher hospitais, em confinar-nos, em privar-nos de fazer festa".

O Bispo afirma que "para a nossa sociedade, habituada ao bem-estar, é difícil: fazer as compras de Natal com a máscara na cara; pensar que ainda não teremos as Missas do Parto como estamos habituados; que ainda não poderemos celebrar o Natal à vontade, com as nossas famílias e as nossas comunidades".

Mas também recorda: "Mas quantos, pelo mundo além (por vezes tão próximos de nós), vivem durante todo o ano no meio de dificuldades! A pobreza extrema; a perseguição; as lutas; a guerra..."

9 visualizações