top of page
Buscar
  • Foto do escritorHenrique Correia

Dados surpreendentes das buscas: relógios de luxo, milhares de euros e um diamante



Pedro Calado tinha "inúmeros envelopes com dinheiro, recibos de depósitos e de outras transferências". Para Calado explicar está uma transferência de 7500 euros para Miguel Albuquerque.



A cada dia que passa são feitas novas revelações surpreendentes sobre as suspeitas que incidem sobre Miguel Albuquerque e Pedro Calado, sendo que estas informações tornadas públicas provocam uma grande preocupação nas pessoas e reduzem, a níveis nunca vistos na Madeira, a credibilidade dos governos e o próprio exercício da democracia.

A CNN Portugal divulgou mais pormenores das buscas da Polícia Judiciária apontando que essas "descobertas" estabelecem "uma relação de proximidade entre os três arguidos: Custódio Correia, Avelino Farinha e Pedro Calado, sendo que Calado costumava tratar por “chefe” o empresário Avelino Farinha".

A reportagem indica um outro ‘detalhe’ encontrado pelas autoridades, designadamente que "a mãe de Pedro Calado - agora ex-presidente da Câmara do Funchal - tinha em casa 46 notas de 200 euros em envelopes com o logotipo da autarquia. Já na conta bancária da filha estavam 30 mil euros que a Polícia Judiciária suspeita serem do político, agora detido".

Revela a CNN que "na mesa de trabalho de Pedro Calado, em pleno gabinete da presidência da câmara, estava um diamante embrulhado em papel vegetal e um conjunto de relógios de luxo de marcas como Cartier, Chopard ou Frank Mueller, avaliados em dezenas de milhares de euros. Foram ainda encontradas quatro esferográficas Chopard, Mont Blanc e Waldmann, várias caixas de vinho e de champanhe, num total de 21 garrafas".

Os dados das buscas minuciosas vão mais além segundo a mesma estação: além de 20 mil euros em notas escondidas em casa do principal suspeito, Pedro Calado, a Unidade de Combate à Corrupção da PJ acabou surpreendida com um comprovativo de transferência de 7.500 euros para uma conta de Miguel Albuquerque, presidente do Governo Regional...O autarca escondia inúmeros envelopes com dinheiro, recibos de depósitos e de outras transferências. Só em notas, 20 mil euros: 28 notas de 100 euros estavam na pasta pessoal de Pedro Calado; e mais de 14 mil euros escondidos num closet, distribuídos por três envelopes, um deles com timbre da Câmara do Funchal, contendo 4 notas de 500 euros".

Por explicar está o papel do motorista de Calado, o "seu braço-direito Rui Pinto e que fazia alguns depósitos, apurou a CNN Portugal. Só entre 2018 e 2021, mais de 67 mil euros entraram naquelas contas.

134 visualizações
bottom of page