Buscar
  • Henrique Correia

Delegado de Saúde do Porto Santo quer fechar circuitos de propagação do vírus



O presidente da Câmara Municipal do Porto Santo lança um apelo público à população para o cumprimento das orientações da Autoridade de Saúde Local, bem como ao cumprimento da responsabilidade individual de cada munícipe, no combate à pandemia de Covid-19.


O delegado de Saúde do Porto Santo, Rogério Correia, apelou à serenidade e à prevenção do controle de entrada do vírus, para que se possa fechar os circuitos de propagação do vírus, uma posição assumida hoje durante uma reunião de emergência da Comissão Municipal de Proteção Civil, para avaliar e determinar orientações operacionais, tendo em conta o número de casos de infeção que se registaram nas últimas 48H, na ilha do Porto Santo.

O presidente da Câmara Municipal do Porto Santo lança um apelo público à população para o cumprimento das orientações da Autoridade de Saúde Local, bem como ao cumprimento da responsabilidade individual de cada munícipe, no combate à pandemia de Covid-19.

A reunião realizou-se à tarde, no auditório da Câmara Municipal, e estiveram presentes o presidente da Câmara, enquanto Autoridade Municipal de Proteção Civil, o Delegado de Saúde, o GVPPS, a PSP, GNR, Autoridade Marítima Nacional, Junta de Freguesia, Segurança Social, Força Aérea Portuguesa, Bombeiros Voluntários, Bombeiros do Aeroporto, ARM e o IFCN.

"O Município do Porto Santo está, evidentemente, a acompanhar com particular atenção e preocupação, o evoluir da pandemia, na nossa Região e regista que com o número de casos ativos conhecidos, o Porto Santo torna-se num concelho com risco de transmissibilidade elevada, a par de outros concelhos, o que causa grande apreensão e elevada preocupação ao Executivo", refere uma nota da Autarquia.

Aponta a mesma informação que até ao final da reunião, os presentes não tinham conhecimento do teor da resolução da Presidência do Governo Regional, n.º 01/2021, bem como das medidas mais restritivas no âmbito do combate à Covid-19, mas foi destacado pelo adjunto do GVPPS que as diversas preocupações do Presidente da Câmara, da Autoridade de Saúde e do próprio GVPPS foram contempladas na mesma

16 visualizações