Buscar
  • Duarte Azevedo

Desporto madeirense só... em janeiro? Campeonato de Portugal joga e recebe equipas de zona de risco

Perante todas estas situações o mais lógico seria parar tudo e voltar em janeiro, na melhor das hipóteses


A resolução do Governo Regional que colocou as equipas madeirenses fora da competição, nacional e regional, até ao próximo dia 5 de dezembro poderá prolongar-se até ao final do ano. A situação pandémica não está melhor, sobretudo no continente, e se olharmos para o Campeonato de Portugal em futebol tudo se agrava. É que as formações madeirenses competem a Norte, uma das Regiões da Europa com crescente número de casos COVID-19. Mais, com o adiamento dos jogos neste mês de novembro, a Federação quer que os mesmos se realizem em dezembro, logo potenciando o número de contactos com as equipas continentais. Aliás, cumprir tal calendarização será incompatível com a obrigação, se assim continuar, de confinamento da realização e de testes ao quinto dia. Como, aliás, o CSD Câmara de Lobos já fez tornar público. Camacha, União e Câmara de Lobos não contam com plantéis profissionais - uns têm mais, outros menos... - o que, se os jogos forem para a frente, obrigaria os atletas a faltas ao trabalho/aulas. Para além do problema dos custos das passagens que por esta altura do ano são proibitivos, e da escassez de viagens entre Porto e Funchal, para mais com horários incompatíveis. Mesmo que os madeirenses façam mais jogos cá que no continente em dezembro - a AD Camacha só tem um jogo fora (em Felgueiras (dia 16 ), recebendo Mondinense (6), Brito (12) e S. Martinho (20); o União dois (Pedras Rubras (16) e Coimbrões (20) e na Madeira com Gondomar (6), C. Lobos (?) e Leça (12); e o Câmara de Lobos dois (Vila Real (13) e Amarante (6), recebendo União (?) e Gondomar (20) - há o aspeto físico a levar em linha de conta, com um natural tremendo desgaste. Já para o Marítimo B, também militante no Campeonato de Portugal, os problemas são comuns menos o facto de constituir um plantel profissional pelo que, ao que se sabe, pretende realizar os jogos que estão programados. Com uma 'sequência louca': fora com Leça (6) e Trofense (9), em 'casa' com Amarante (12), Salgueiros (12), Pedras Rubras (20) e Paredes (23 - este ainda não aceite pelo adversário). De notar que a partida com o Salgueiros havia sido adiada por impossibilidade dos nortenhos. As equipas continentais, a contas com vários casos de COVID-19, até em conjuntos da I Liga, deparam-se igualmente com os elevados custos das passagens. Embora aí a Cosmos seja a detentora do exclusivo com a FPF... Evidentemente que perante todas estas situações o mais lógico seria parar tudo e voltar em janeiro, na melhor das hipóteses. Só que a Federação de Futebol - e as outras federações - parece não estar pelos ajustes. Mesmo estando em causa a saúde pública.


3 visualizações