Buscar
  • Henrique Correia

Dia da Mãe marca regresso dos restaurantes ao jantar e o recolher é mais tarde (23h)


Madeira entra este domingo numa nova fase das restrições mas o uso da máscara continua a ser obrigatório nos transportes públicos e sempre que o distanciamento físico recomendado pelas autoridades de saúde se mostre impraticável


Fonte: Governo Regional


O estado de calamidade, na Região, já entrou este sábado em vigor, mas as novas regras, como o recolher obrigatório às 23 horas e o encerramento dos estabelecimentos comerciais e de restauração para as 22 horas, entram este domingo, 2 de maio, Dia da Mãe. Segunda-feira será a vez de normalizar os horários da Função Pública e das Lojas do Cidadão. Começa, assim, uma nova fase da retoma e da recuperação da Covid-19. Mas há cuidados a ter, sempre, designadamente o uso da máscara, nas seguintes condições:


a) Por todos os cidadãos, maiores de seis anos de idade, para o acesso, circulação ou permanência em espaços fechados, ou locais de acesso e vias públicas, sempre que o distanciamento físico recomendado pelas autoridades de saúde se mostre impraticável;


b) Nos transportes públicos coletivos de

passageiros e individuais e transporte coletivo de crianças.

De resto, a partir deste 2 de maio de 2021.


Recolher obrigatório


"É determinada a interdição de circulação na via pública entre as 23h e as 5h do dia seguinte". Com exceções:

a) Deslocações profissionais, conforme atestado por declaração;

b) Profissionais de saúde e outros trabalhadores de instituições de saúde e de apoio social;

c) Agentes de proteção civil, militares,

inspetores da Autoridade Regional das

Atividades Económicas (ARAE) e forças de segurança;

d) Ministros de culto;

e) Pessoal das missões diplomáticas e

consulares;

f) Deslocações por motivos de saúde;

g) Acolhimento de emergência de vítimas de violência doméstica ou tráfico de seres

humanos;

h) Assistência a pessoas vulneráveis ou pessoas com deficiência;

i) Cumprimento de responsabilidades parentais;

j) Assistência médico-veterinária urgente;

k) Exercício da liberdade de imprensa;

l) Retorno ao domicílio no âmbito das

deslocações admitidas;

m) Deslocações aos aeroportos da RAM, e aos portos do Funchal e Porto Santo, para

embarque e desembarque de passageiros;

n) Deslocações em transportes públicos, táxis e TVDE, no âmbito das exceções admitidas no presente número;

o) Profissionais de panificação, para a realização do trabalho noturno;

p) Deslocações dos agricultores, para se deslocarem às parcelas das suas explorações agrícolas para efeitos da utilização da água de rega a que têm direito no âmbito da normal gestão do regadio público ou privado; q) Outros motivos de força maior, desde que se demonstre serem inadiáveis ou justificados.


Comércio e Restauração


As atividades de natureza comercial, industrial e de serviços na Região Autónoma da Madeira manter-se-ão em funcionamento com os condicionamentos

já em vigor do ponto de vista das regras sanitárias e de controlo de acessos, sendo obrigatório o seu encerramento até às 22 horas.

Ficam excecionados do número anterior os seguintes estabelecimentos:

a) Farmácia de oficina;

b) Clínicas, consultórios médicos e veterinários, serviços médicos ou outros serviços de saúde e apoio social;

c) Serviços de oxigénio e gases medicinais ao domicílio;

d) Postos de abastecimento de combustível (só para abastecimento de veículos);

e) Setor da panificação;

f) Atividade portuária de carga e descarga de mercadorias e a sua distribuição;

g) Os estabelecimentos comerciais situados no interior dos aeroportos da Madeira e do Porto Santo, após o controlo de segurança dos passageiros;

h) As empresas que exerçam atividade no setor de serviços, que tenham sido contratadas por algum dos setores de atividade identificados nas alíneas

anteriores, por entidades ligadas à prestação de serviços essenciais;

i) Os Engenhos de cana-de-açúcar, a respetiva a safra e circulação na via pública - atendendo ao facto de o período de laboração da cana-de-açúcar se realizar entre março e maio, bem como a circulação na via pública, de todas as

viaturas que executem tarefas relacionadas com aquela atividade para além dos horários previstos.

Os Restaurantes manter-se-ão em funcionamento sujeitos às obrigações já em vigor do ponto de vista das regras sanitárias, distanciamento social e de controlo de acessos, podendo funcionar até às 22 horas, com os seguintes condicionamentos:

a) Redução da lotação a 50% da capacidade, no interior e exterior;

b) Lotação máxima de cinco pessoas por mesa, no interior e exterior, salvo se pertencerem ao mesmo agregado familiar.

Os Bares e Similares, manter-se-ão em

funcionamento sujeitos às obrigações já em vigor do ponto de vista das regras sanitárias, distanciamento social e de controlo de acessos, podendo funcionar até às 22 horas, com os seguintes condicionamentos:

a) Redução da lotação a 50% da capacidade, no interior e exterior;

b) Proibição de consumo de comida ou bebida ao balcão ou de pé, no interior ou nas esplanadas;

c) Lotação máxima de cinco pessoas por mesa, no interior e exterior, salvo se pertencerem ao mesmo agregado familiar.

24- Mantém-se em vigor a proibição de consumo de álcool na via pública, espaços ao ar livre de acesso ao público ou nas imediações de estabelecimentos

comerciais, sendo igualmente proibida a

permanência de clientes no interior dos

restaurantes, bares e similares para além da sua hora de encerramento.

Os Restaurantes/Bares e Similares situados no interior dos aeroportos da Madeira e Porto Santo, na área reservada após o controlo de segurança dos passageiros, funcionarão nos seus horários normais.


Confira a resolução com todas as regras:


https://joram.madeira.gov.pt/joram/1serie/Ano%20de%202021/ISerie-078-2021-04-30supl4.pdf


379 visualizações