Buscar
  • Henrique Correia

Dinarte "rebelde" incomoda coligação; placa com "sr. Teófilo" acelera atrito


Aquilo que muitos apontam como "rebeldia", mas que outros dizem ser "discrição excessiva" para a função, tem criado alguma crispação interna e gerida, por enquanto, nos corredores.




O presidente da Câmara de Santana, como se sabe eleito pelo CDS e sem envolver, localmente, a coligação governamental regional, não morre de amores por este acordo entre os dois partidos. São conhecidas as divergências e nem as iniciativas do Governo no concelho esbatem essas divergências. Ou chega tarde ou nem vai. Ou às vezes não é convidado.

Essa diferença de opinião é conhecida no CDS, uma vez que Dinarte Fernandes sempre demonstrou não estar ao lado da tendência que defendeu a coligação regional e local. Mas apesar do partido e do líder saberem disso, aquilo que muitos apontam como "rebeldia", mas que outros dizem ser "discrição excessiva" para a função, tem criado alguma crispação interna gerida, por enquanto, nos corredores. Dinarte venceu as eleições, Barreto sabe o que ele pensa, mas pede compromisso com o partido e respeito pelas opções, entre elas a coligação governamental.

O presidente da Câmara não esteve presente na visita que Miguel Albuquerque fez às obras da ligação São Jorge-Arco de São Jorge, onde a ausência de Dinarte foi comentada e criticada entre membros do próprio governo, habituados a esta postura do autarca, mas irritados com a forma como demonstra ostensivamente o descontentamento relativamente à coligação.

No contexto do CDS, já foram várias as mensagens que chegaram a Dinarte no sentido de moderar a sua atitude, acima de tudo porque os dirigentes centristas justificam com os votos que o partido vai tirar a votantes do PSD, logo não é bom Dinarte ter um comportamento hostil para com parte do seu eleitorado. Sem votos na área do PSD, Dinarte não ganha, dizem.

Mas há um episódio relativamente recente que também está a irritar o CDS: a inauguração de uma estrada municipal, por sinal uma obra que agrada à população, segundo se sabe, mas onde é atribuída a Dinarte uma decisão inadequada. A placa ali colocada alusiva à inauguração, e de forma desnecessária, tem "sr. Dinarte" e "sr. Teófilo", atual e anterior presidentes da Câmara, em cujos mandatos incidiu este investimento. O entendimento interno, no CDS, ia no sentido de apenas figurar o nome, mas a constar qualquer alusão, a mesma não poderia ignorar o grau académico de Teófilo Cunha, atual secretário regional. E no caso de Dinarte, sem que isso represente menor capacidade seja no que for, não possui formação superior.

31 visualizações