Buscar
  • Henrique Correia

Diogo Goes palestrante no 1º Congresso Luso-brasileiro de Gestão e Conformidade


O Congresso terá transmissão online e decorre nos dias 11 e 12 de agosto, a partir do ISAL.



Diogo Goes, professor universitário e investigador, é um dos palestrantes do 1º Congresso Luso-brasileiro de Gestão e Conformidade, organizado pelo Instituto Iberoamericano de Compliance (Brasil) em parceria com o Instituto Superior de Administração e Línguas - ISAL, tendo por objetivo incentivar a investigação científica nas áreas da Gestão, Governança, Compliance e Conformidade.

O Congresso terá transmissão online e decorre nos dias 11 e 12 de agosto, a partir do ISAL.

Diogo Goes, apresentará uma comunicação intitulada “A importância da Compliance como prática de Gestão nas Instituições Culturais”, tendo por base “identificar as necessidades das instituições culturais as suas boas práticas e mensurar quais os impactos no sistema e mercado da arte internacional''. “O cumprimento e uniformização de normas e procedimentos na gestão museológica, a avaliação de desempenho no cumprimento de metas, missão e objetivos, o acompanhamento das disposições legais e da proteção de dados e a instituição de manuais de boas práticas são algumas das medidas a discutir e a adotar pelas instituições culturais, quer públicas, quer privadas”, refere o resumo. Este Congresso reúne duas dezenas de palestrantes confirmados, oriundos das mais importantes universidades e centros de investigação da lusofonia e do espaço iberoamericano, nomeadamente Brasil, México e Portugal. Diogo Goes é também membro do conselho científico deste congresso.

No âmbito nacional, Diogo Goes integra, até ao próximo dia 10 de julho, quatro exposições da 4ª Bienal Internacional de Arte Gaia 2021, atualmente a decorrer, nomeadamente, as exposições intituladas “Artistas Convidados” e “Paz e Constituição” no Pavilhão da bienal - antiga Companhia de Fiação de Crestuma, em Lever, Vila Nova de Gaia - e nos pólos de Alfândega da Fé e Funchal. A Bienal de Gaia tem a direção artística a cargo do artista plástico e museológo Agostinho Santos e é uma iniciativa organizada pela Artistas de Gaia – Cooperativa Cultural, com o apoio da Câmara Municipal de Gaia e do Ministério da Cultura, através da Direção-Geral das Artes. A Bienal reúne mais de 500 artistas de 17 nacionalidades, cujas obras se debruçam sobre as causas sociais.

De referir que, até 20 de agosto, está a decorrer o ciclo de exposições “Partilhas Francas”, com curadoria de Diogo Goes e que decorre atualmente em cinco espaços culturais na cidade do Funchal, na Galeria Marca de Água, no Museu Henrique e Francisco Franco, no Museu Cidade do Açúcar, na Capela da Boa Viagem e na Torre mirante dos Paços do Concelho.


1 visualização