top of page
Buscar
  • Henrique Correia

Dois euros para turista entrar no Miradouro do Cabo Girão a partir de 1 de janeiro


As receitas resultantes da cobrança das tarifas ora fixadas serão, tendencialmente canalizadas para a manutenção e valorização de espaços.





A partir de 1 de Janeiro de 2023 as entradas no Miradouro do Cabo Girão passam a ser pagas pelos turistas. Cada um paga 2 euros.

Os residentes na Madeira e as crianças até 12 anos de idade ficam isentos de qualquer pagamento.

O Governo justifica a portaria considerando que "é do mais elevado interesse regional potenciar e regulamentar a atividade turística no Miradouro do Cabo Girão assegurando em simultâneo o seu bom estado de conservação e manutenção, justificando-se, no caso em apreço, e a exemplo do que sucede na generalidade dos países desenvolvidos, a cobrança de um valor para o acesso a este ponto de referência turística".

O documento agora publicado refere que "as receitas resultantes da cobrança das tarifas ora fixadas serão, tendencialmente canalizadas para a manutenção e valorização de espaços com relevância turística, o que em si mesmo, constitui uma forma de valorização e defesa do setor".

O Cabo Girão, lembra a informação, é um "promontório com 580 metros de altura, é um dos cabos mais altos da Europa e possui um

dos miradouros mais altos do mundo, famoso pela plataforma suspensa em vidro, denominada de skywalk, oferecendo uma vista estonteante das fajãs Rancho e Cabo Girão, bem como fantásticas vistas panorâmicas sobre o oceano, a vila

de Câmara de Lobos e todo o Funchal, tendo sido classificado pela revista de viagens Cond Nast Traveler como o quinto

miradouro com a melhor vista do mundo".

O Governo recorda que "é amplamente reconhecido, a nível nacional e internacional, que as taxas são um dos instrumentos de

regulação e controlo do impacte da pressão humana em áreas classificadas e que, quando devidamente estruturadas, podem

contribuir de modo efetivo para a conservação dos valores naturais que se pretendem salvaguardar, assim como para a

conservação dos valores naturais nelas existentes".




61 visualizações
bottom of page