top of page
Buscar
  • Henrique Correia

DRD "escorrega" nos apoios à patinagem no gelo: pedido de plano "perdeu-se"

Atualizado: 10 de jan.


Nem clubes nem a estrutura técnica receberam qualquer indicação no sentido de apresentarem um plano de atividade para ser submetido à avaliação tendo em vista a atribuição de apoio.




Já é público que a Federação Portuguesa de Desportos de Inverno atribuiu uma "bolsa olímpica" a quatro madeirenses praticantes de patinagem no gelo, modalidade que não tem prática regular na Madeira nem tão pouco no todo nacional. Marco Lira, Afonso Freitas, Jéssica Rodrigues e Francisca Henriques são os candidatos a uma via olímpica e a ajuda financeira permite-lhes aspirar a outros patamares competitivos.

Mas não obstante a falta de prática competitiva em Portugal, a estrutura federativa considerou que os atletas tinham valor suficientemente consistente para poderem evoluir no sentido da representação olímpica, sendo que suscitou algumas dúvidas a inexistência de qualquer decisão de apoio da Região, no âmbito da política desportiva que contempla verbas a atletas, clubes e associações.

Neste sentido, desde logo a Direção Regional de Desportos declinou qualquer responsabilidade dessa ausência de apoio remetendo para o técnico Alípio Silva e para os clubes, que mais do que o treinador deveriam ser o elo de relação neste particular, dando a ideia que a DRD estaria a aguardar há algum tempo um plano que pudesse, depois de devidamente enquadrado, integrar a lista de apoios ao desporto. E que, por essa razão, ainda não havia decisão sobre o assunto.

Este foi o último passo conhecido, que aqui demos conta, depois do próprio presidente do Governo, ao que nos garantiram, ter questionado a tutela, no caso a secretaria regional da Educação, sobre o assunto, que pelos vistos anda "perdido" entre a DRD e os interessados, havendo mesmo quem admita que pode ser um problema de endereço ou dos CTT.

Fontes por nós contactadas admitem estarmos perante uma questão, ainda por explicar, relativamente a eventual avaliação sobre a importância desta prática, se deve ou não merecer apoio, precisamente por não ter, na Região, um quadro competitivo que permita a expansão. No entanto, esta tese cai um pouco por terra quando se constata que o facto de não haver prática da modalidade na Madeira não é caso único. Os atletas madeirenses estão federados (filiados na Federação de Desportos de Inverno) desde 2021, são 20 madeirenses filiados na Patinagem no Gelo divididos por Marítimo, Santanense e Prazeres. Não há Associação regional de Patinagem no Gelo mas não há em 19 outras modalidades e estas são apoiadas este ano pelo PRAD (programa de apoio ao desporto)

Existem atletas de três clubes nas ‘bolsas olímpicas’ – Marítimo, Santanense, Prazeres; o PRAD representa apoios a clubes e associações pelo que o enquadramento da Patinagem no Gelo deveria passar pelas instituições.

Outro facto curioso, que já nada tem a ver com qualquer verba, é constatado pelos próprios envolvidos: os sucessos dos madeirenses no gelo, inesperados, nunca mereceram qualquer referência da DRD, como acontece com conquistas de madeirenses em várias modalidades. No caso da patinagem no gelo, conquistaram vários títulos na Taça de Portugal, bateram recordes nacionais, houve classificações no top 10 da Taça do Mundo e a DRD nunca emitiu qualquer louvor.






24 visualizações
bottom of page