Buscar
  • Henrique Correia

EEM não fica nem em Barreto nem em Eduardo Jesus; Albuquerque dá "luz" a Fino


A EEM vai para um secretário mais cauteloso em termos de exposição pública, menos exuberante, mais técnico, sem as ambições tão altas.




Nem Barreto nem Eduardo Jesus, a EEM ficará na tutela do secretário regional dos Equipamentos e Infraestruturas, Pedro Fino, segundo revela o DN remetendo para uma entrevista com o novo secretário com o pelouro das Finanças, Rogério Gouveia, que toma posse esta segunda-feira, pelas 15 horas, perante a Comissão Permanente da Assembleia Legislativa da Madeira.

Nesta nova estrutura orgânica do Governo, em resultado da saída do vice-presidente Pedro Calado, para se dedicar, em exclusivo, à candidatura à Câmara do Funchal, foi levantada a questão da redistribuição de pelouros, sabendo-se que desde logo foram desencadeadas manifestações de interesse por parte de Rui Barreto, secretário da Economia, além de Eduardo Jesus, que tem a tutela do Turismo, mas que queria muito a Empresa de Eletricidade, que é aquela empresa que todos gostam de supervisionar.

Essa "disputa" colocava Albuquerque numa posição difícil. Não queria dar mais poder a Barreto, do CDS, mas também não queria deixar Eduardo Jesus com o ego ainda mais elevado, atendendo ao perfil conhecido do governante nas áreas pircsi tuteladas.

Posto isto, o presidente do Governo resolveu: nem um nem outro. E como diz o DN, é Rui Fino quem fica com a "luz". E sendo assim, faz sentido do ponto de vista da "luta" interna, a EEM vai para um secretário mais cauteloso em termos de exposição pública, menos exuberante, mais técnico, sem as ambições tão altas. Ainda segundo o DN, a APRAM, que também estava na tutela de Calado, vai para Barreto. Uma decisão de equilíbrio político por parte do líder.





36 visualizações